Melhoria contínua

A aplicação da Engenharia de Valor na redução de custos

Imprimir artigo

A “engenharia de valor” está relacionada ao estudo da redução de custos antes  do produto/serviço ser iniciado, ou seja, é aplicada a recursos que ainda estejam em fase de concepção ou projeto. Tem por objetivo reduzir custos e prevenir quaisquer custos desnecessários antes de produzir o produto/serviço, eliminando os custos que não contribuam para o valor e o desempenho dos mesmos.

Diferente da “engenharia de valor”, a “análise de valor” trata da redução de custos depois que o produto/serviço foi iniciado, buscando aumentar a eficácia da organização, gerando maior competitividade de seus produtos através da diminuição de custos e aumento da qualidade. A “análise de valor” é realizada sobre algo já existente, que esteja sendo desenvolvido. Está relacionada a simplificação e otimização das atividades que fazem parte do processo produtivo, ou seja, as tarefas que não agregam valor são eliminadas ou substituídas por outras que geram maior valor, o que significa não somente a redução de custos, mas também a agilidade na produção que vai criar vantagem competitiva para a empresa.

COMO REALIZAR A ENGENHARIA DE VALOR

  • Selecionar o produto: escolher o produto que poderá ser melhorado, onde empresas que procuram constantemente melhorar seus processos, dispoem de pessoal especializado para esta análise.
  • Obter informações: levantar informações através de fluxograma de processos, desenhos, especificações, roteiros de fabricação, levantamento de custos, etc.
  • Definir funções: definir a função do componente do produto com um todo, pois há vários exemplos de componentes que após analisados, demonstraram não apresentar função alguma e foram descartados.
  • Gerar alternativas: é a fase criativa, onde o brainstorming é utilizado como ferramenta geradora de novas alternativas.
  • Avaliar alternativas: analisar as alternativas, procurando identificar quais trarão maiores benefícios.
  • Selecionar alternativa: selecionar uma alternativa, devidamente justificada, e obter a aprovação da alteração junto à engenharia do produto.
  • Implantar: implantar a alternativa escolhida e realizar as alterações necessárias.

EXEMPLO

A Motorola, fabricante de produtos eletrônicos, usou engenharia de valor para reduzir o custo de seu telefone celular. No início, seu celular era composto de aproximadamente 3.200 peças. Três anos depois, após aplicar a engenharia de valor a seus novos modelos, o número de peças foi reduzido para 400, sendo que o tempo de produção de 40 horas, foi reduzido para menos de 2 horas. A engenharia de valor proporcionou a empresa a redução de custos e maior desempenho do processo de produção.

Os programas de engenharia de valor usualmente são conduzidos por equipes de projeto compostas de projetistas, especialistas de compras, gerentes de produção e analistas financeiros, que em conjunto, vão tomar as decisões viáveis para melhoria dos processos.

A engenharia de valor procura melhorar a qualidade do produto/serviço, ou seja, diminuir custos não poderá significar diminuição da qualidade e eficiência, mas sim melhor desempenho dos processos.

REFERÊNCIA

ALVAREZ, Maria Esmeralda Ballestero. Administração da qualidade e da produtividade: abordagens do processo administrativo. São Paulo: Atlas, 2001.

MARTINS, Petrônio G.; LAUGENI, Fernando P. Administração da Produção. São Paulo: Saraiva, 2005.

RODRIGUES, Marcus Vinicius. Ações para a qualidade: GEIQ, gestão integrada para a qualidade: padrão seis sigma, classe mundial. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2004.

SLACK, Nigel. Administração de Produção. São Paulo: Atlas, 2002.

 

 

 

Autor

Comentários

Posts Relacionados

← Post mais recente
Balanceamento de linhas de montagem