Blog da Qualidade

Diagrama de Pareto: O Que É e Como fazer?

Receba Nossa News

Os conteúdos mais legais sobre qualidade, semanalmente em seu e-mail

Todos os dados inseridos aqui, estão resguardados pela Política de Privacidade da ForLogic, totalmente adequada a LGPD e ISO 27001 (Segurança da Informação).

Jeison

Jeison

Sou co-fundador da ForLogic Software, hoje atuo com gente, cultura e gestão. Sou um dos criadores do Qualiex, do Qualicast (o 1º Podcast nacional focado em qualidade), criador do Blog da Qualidade (o maior blog sobre Qualidade do Brasil). Mestre em Engenharia da Produção pela UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), auditor líder formado com orgulho pela ATSGna ISO9001 e 22000, pai, empreendedor, e um inconformado de plantão!
Acredito na responsabilidade do indivíduo, no poder da qualidade e que podemos fazer diferente. Me acompanhe no Linkedin e no Instagram.

Primeiramente, o Diagrama de Pareto apresenta o conceito de que, na maioria das situações, 80% das consequências são resultado de 20% das causas.

Sem dúvidas, isso pode ser muito útil para tratar não conformidades, identificar pontos de melhoria e definir que planos de ação devem ser atacados primeiro no que diz respeito à prioridade.

Ainda, segundo a metodologia, os problemas referentes a qualidade de produtos e processos, que resultam em perdas, podem ser classificados da seguinte maneira:

  • Poucos vitais: representam poucos problemas que resultam em grandes perdas;
  • Muitos triviais: representam muitos problemas que resultam em poucas perdas.

O Diagrama de Pareto apresenta um gráfico de barras que permite determinar, por exemplo, quais problemas devem ser resolvidos primeiro.

Por meio das frequências das ocorrências, da maior para a menor, é possível visualizar que, na maioria das vezes, há muitos problemas menores diante de outros mais graves. Isso pode representar maior índice de preocupação e maiores perdas para a organização.

O que é o Diagrama de Pareto 80/20?

Na busca pela melhoria contínua e eficiência nos processos, a gestão da qualidade desempenha um papel fundamental. Nesse contexto, o Diagrama de Pareto, também conhecido como Diagrama de Causa e Efeito ou Curva ABC, surge como uma ferramenta essencial para a identificação e priorização dos problemas mais relevantes em um determinado contexto.

O Diagrama de Pareto é baseado no princípio de Pareto, também conhecido como a regra 80/20. Esse princípio sugere que aproximadamente 80% dos efeitos são decorrentes de 20% das causas. Dessa forma, a análise do Diagrama de Pareto permite identificar os poucos fatores que têm maior impacto na ocorrência de um problema, auxiliando na tomada de decisões estratégicas e na alocação adequada de recursos para solucioná-los.

A ferramenta consiste em um gráfico de barras, onde as barras representam os problemas ou causas, ordenadas de forma decrescente de acordo com sua importância. A importância é geralmente medida em termos de frequência, impacto ou custo.

A análise do Diagrama de Pareto segue uma abordagem passo a passo:

  1. Identificação do problema: Defina claramente o problema que será analisado. Pode ser atrasos em processos, defeitos em produtos, reclamações de clientes, entre outros.
  2. Coleta de dados: Obtenha dados relevantes sobre o problema, como a frequência de ocorrência ou o impacto causado. É importante utilizar fontes confiáveis e dados precisos para uma análise precisa.
  3. Classificação dos problemas: Liste os problemas identificados e classifique-os em ordem decrescente de importância. Isso pode ser feito com base em dados quantitativos ou qualitativos.
  4. Construção do gráfico: Represente os problemas em um gráfico de barras, onde o eixo vertical indica a importância e o eixo horizontal representa os problemas em ordem decrescente.
  5. Análise da curva: Analise a curva do Diagrama de Pareto e identifique o ponto de pareto, que é o ponto em que a curva começa a se estabilizar. Isso indica os problemas mais significativos que devem receber maior atenção.
  6. Priorização de ações: Com base na análise do Diagrama de Pareto, concentre seus esforços na resolução dos problemas que estão no topo da curva. Esses problemas têm maior impacto e, ao resolvê-los, é possível obter melhorias significativas nos resultados.

Ao utilizar o Diagrama de Pareto, as organizações podem direcionar seus recursos de forma estratégica, abordando os problemas mais relevantes e obtendo ganhos expressivos na qualidade, eficiência e satisfação do cliente.

Como fazer o Diagrama de Pareto

  • Determine o tipo de perda/problema que você quer investigar;
  • Especifique o aspecto de interesse do tipo de perda que você quer investigar;
  • Organize uma folha de verificação com as categorias do aspecto que você decidiu investigar;
  • Preencha a folha de verificação;
  • Faça as contagens, organize as categorias por ordem decrescente de frequência, agrupe aquelas que ocorrem com baixa frequência sob denominação “outros” e calcule o total;
  • Calcule as frequências relativas e as frequências acumuladas.

EXEMPLO

Uma empresa fabrica e entrega seus produtos para várias lojas de varejo,  e quer diminuir o número de devoluções.

Contudo para isso,  investigou o número de ocorrências geradoras de devolução da entrega no último semestre, conforme apresentado na tabela abaixo:

Diagrama de Pareto

Passos para Construção do Diagrama

1- Primeiro passo: refazer a folha de verificação ordenando os valores por ordem decrescente de grandeza.

Diagrama de Pareto

2- Segundo passo: acrescentar mais uma coluna indicando os valores acumulados. Esse calculo é feito somando o número de ocorrências de uma razão mais as ocorrências da razão anterior.

Diagrama de Pareto

3- Terceiro passo: acrescentar mais uma coluna onde serão colocados os valores percentuais referentes a cada tipo de ocorrência.

Diagrama de Pareto

 O cálculo é feito dividindo-se o número de ocorrências de um determinado tipo (razões)  pelo total de ocorrências no período.

Diagrama de Pareto

4- Quarto passo: acumulam-se estes percentuais em uma última coluna. Para isso, basta somar o percentual de ocorrência de cada razão ao percentual de ocorrência da razão anterior.

Diagrama de Pareto

Com estes dados pode ser construído o gráfico de Pareto, apresentado a seguir:

diagrama de pareto

Conforme apresentado no gráfico acima, para diminuir  o problema de devolução de produtos será necessário criar um programa de ação para a empresa diminuir os atrasos de entrega da fábrica e da transportadora. Com isso, 53% do problema será resolvido.

Quais as vantagens da utilização do Gráfico de Pareto?

Veja a seguir os benefícios principais da utilização dessa ferramenta:

Identificação das principais causas

O diagrama de Pareto permite visualizar de forma clara e ordenada as causas que estão contribuindo mais significativamente para um problema ou situação indesejada. Isso ajuda a direcionar os esforços de melhoria para as áreas que terão o maior impacto.

Foco nos esforços de melhoria

Ao identificar as causas principais, o diagrama  permite concentrar recursos e esforços nas áreas que são mais críticas. Isso evita dispersão de recursos em problemas menos relevantes e aumenta a eficiência das ações de melhoria.

Comunicação e tomada de decisão

O gráfico de Pareto é uma ferramenta visual e de fácil compreensão, o que facilita a comunicação e a discussão entre equipes e tomadores de decisão. Ele fornece uma representação clara e objetiva dos problemas, permitindo que as partes interessadas cheguem a um consenso sobre as ações necessárias.

Monitoramento do progresso

Ao utilizar essa ferramenta, é possível acompanhar o progresso das ações de melhoria ao longo do tempo. Isso ajuda a avaliar a eficácia das medidas implementadas e a realizar ajustes quando necessário.

Além disso, o monitoramento é essencial para fazer ajustes durante todo o processo, contribuindo para o direcionamento de estratégias e planos.

Como esse diagrama surgiu?

O Diagrama de Pareto foi nomeado em homenagem a Vilfredo Pareto, um economista e sociólogo italiano que viveu entre os anos 1848 e 1923. Embora o diagrama tenha sido popularizado por Pareto, sua criação não pode ser atribuída exclusivamente a ele.

Vilfredo Pareto desenvolveu o conceito de “distribuição de Pareto” ao estudar a distribuição desigual de riqueza em uma sociedade. Ele observou que aproximadamente 20% da população detinha cerca de 80% da riqueza. Essa relação ficou conhecida como o “Princípio de Pareto” ou a “regra 80/20”.

Posteriormente, Joseph Juran, um renomado especialista em qualidade, introduziu o Diagrama de Pareto como uma ferramenta prática de gestão da qualidade. Juran aplicou os conceitos de Pareto para melhorar a qualidade dos produtos e processos nas empresas. Ele percebeu que a maioria dos problemas ocorria em um número limitado de causas principais, enquanto a maioria das causas tinha um impacto insignificante.

A partir dessas observações, Juran desenvolveu o Diagrama de Pareto como uma técnica para identificar e priorizar as causas mais significativas de um problema, permitindo uma alocação eficiente de recursos para solucioná-lo. Através da análise do Diagrama de Pareto, é possível concentrar esforços nas áreas que trarão os maiores benefícios em termos de qualidade e desempenho.

Embora Vilfredo Pareto tenha fornecido os fundamentos teóricos para a distribuição desigual de eventos e Juran tenha aplicado esses conceitos à qualidade, o Diagrama de Pareto evoluiu como uma ferramenta prática e amplamente utilizada em diversas áreas, desde a gestão da qualidade até a solução de problemas, permitindo uma abordagem mais estratégica e eficiente na busca por melhorias contínuas.

Para Que Serve o Diagrama de Pareto?

O Diagrama de Pareto é um recurso gráfico utilizado para estabelecer uma ordenação nas causas de perdas que devem ser sanadas. Dessa forma, ele auxilia na identificação dos problemas priorizando-os para que sejam resolvidos de acordo com sua importância.

Isso não quer dizer que nem todos os problemas são importantes, mas sim, que alguns precisam ser solucionados com maior urgência.

O Diagrama de Pareto faz parte das sete ferramentas da qualidade e permite uma fácil visualização e identificação das causas ou problemas mais importantes. Assim, ele possibilita concentração de esforços para saná-los.

Se você quiser saber mais sobre a utilização, sobre como fazer e ver exemplos práticos do Diagrama de Pareto, acesse nosso glossário de ferramentas clicando no botão abaixo:

Saiba mais sobre Diagrama de Pareto

REFERÊNCIAS
CAMPUS, Vicente Falconi. TQC: controle da qualidade total (no estilo japonês). São Paulo:Campus, 2009.
PEINADO, Jurandir; GRAEML, Alexandre Reis. Administração da produção: operações industriais e serviços. Curitiba: UnicenP, 2007.
RODRIGUES, Marcus Vinicius. Ações para a qualidade: GEIQ, gestão integrada para a qualidade: padrão seis sigma, classe mundial. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2004.
SEBRAE-PR

Idealizado por Forlogic 
Conheça nosso Software para  Gestão da Qualidade 

Sobre o autor (a)

13 comentários em “Diagrama de Pareto: O Que É e Como fazer?”

  1. dercia miambo

    Seria muita maldade da minha parte se eu nao comentasse absolutamente nada. Eu estava a entrar em desespero de tanto procurar por explicacoes mais perceptiveis no Google, voce me salvou. Muito esclarecedor!!! Obrigada

  2. Ellen Cristina

    Estou fazendo um trabalho de faculdade e estava bastante perdida sobre como fazer um Diagrama de Pareto no excel, esta matéria me ajudou muito e confesso que foi a única das tantas páginas que pesquisei e esclareceu totalmente minha mente. muito obrigada. 🙂

  3. Carlos Costa

    Uma dúvida. Como neste exemplo, estou passando por uma situação no estágio onde não estou obtendo uma porcentagem muito alta de ocorrências separando os 20% das razões e preciso. Como eu faço a divisão da curva abc nestes casos? Há algum critério técnico para a divisão nestes casos onde não há um exato “80/20”, ou é pelo “bom senso”? Por exemplo: 23% das causas representam apenas 46% das ocorrências. Eu fico com estes 46% ou aumento o percentuais de causas para atuar?
    Espero que tenha me feito entender.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blog da Qualidade

Artigos relacionados