Blog da Qualidade

2 dicas simples para aplicar o PDCA gerando mais resultados

Receba Nossa News

Os conteúdos mais legais sobre qualidade, semanalmente em seu e-mail

Todos os dados inseridos aqui, estão resguardados pela Política de Privacidade da ForLogic, totalmente adequada a LGPD e ISO 27001 (Segurança da Informação).

Davidson Ramos

Davidson Ramos

Auditor Líder ISO 9001:2015 e autor de centenas de artigos sobre Gestão da Qualidade, sempre acreditei que as pessoas têm o poder de mudar o mundo a sua volta, desde que estejam verdadeiramente engajadas nisso. Por isso me dedico a ajudar as pessoas a criar laços verdadeiros com seu trabalho, porque pessoas engajadas mudam o mundo!

No post anterior abordei 3 variações do PDCA,  e até um leitor comentou que utiliza o SDSA para padronizar mudanças promovidas pelo PDCA. O artigo de hoje traz duas dicas de como aplicar o PDCA,  falando sobre aspectos que vão ajudar a rodar o PDCA de maneira mais fluída e assertiva na sua empresa, seja para resolver problemas ou trabalhar em melhoria contínua.

plano-de-acao-anuncio-1200x175px

1 – Foque nas melhorias, não em criar documentos

Ao analisar a ISO 9001:2015, veremos que manter e reter informação documentada é uma atividade importante. Quando a documentação é bem feita, ela apoia o processo e orienta de forma eficaz sua execução. Entretanto, não adianta criar um monte de planilhas e modelos que não impactam em melhorias. No módulo Planos do Qualiex, por exemplo, analisamos a causa, fatos e dados envolvendo quem executa o processo, utilizando ferramentas que ajudam a identificar a raiz do problema, gerando aprendizados e entregas consistentes.

O PDCA é um método de análise e reflexão, e tudo que você faz antes de executar “Do” (fazer) também é determinante para o sucesso do ciclo. Então é preciso “ajustar a intenção” antes de mais nada! O objetivo precisa estar claro. PDCA bom não complica! Ajuda o processo a seguir seu curso de maneira organizada!

2 – Alimente o PDCA com fatos e dados confiáveis

Alguns processos, pela sua complexidade, vão envolver várias ações, etapas e informações a serem coletadas. São essas informações que irão te ajudar a entender o que deu certo ou não, realimentando o Ciclo do PDCA. Porém,  quando planilhas são utilizadas neste processo, é comum que dados se percam ou que não sejam atualizados, e sem informações não é possível analisar o que aconteceu no processo, prejudicando o novo cliclo do PDCA, por isso sugerimos o uso de softwares adequados para garantir a integridade das informações.

Você não precisa aplicar o PDCA sozinho

Como eu disse, o PDCA é um método de análise e reflexão e isso é intransferível! Sempre vai ser sua responsabilidade. Entretanto, existem várias rotinas manuais que envolvem a aplicação da metodologia (e do SGQ como um todo) que podem ser automatizadas para tornar o andamento das etapas mais fluído.

Com o Qualiex, nosso software para gestão da qualidade, você consegue registrar e centralizar todas as informações sobre a melhoria contínua dos seus processos em um só lugar. Além de poder criar fluxos específicos para tratar os problemas (ou não conformidades) da sua empresa.

ocorrencias-1200-x175

Idealizado por Forlogic | Saiba mais sobre qualidade em https://ferramentasdaqualidade.org/
Conheça nossos softwares:
Gestão da Qualidade | Gestão da Metrologia

Sobre o autor (a)

6 comentários em “2 dicas simples para aplicar o PDCA gerando mais resultados”

  1. Excelente!
    Eu costumo mesclar as ferramentas da qualidade durante o processo do PDCA, no caso, juntamente com os envolvidos, fazemos verificações para a validação das evidências, depoisbrainstorming, pareto, ishikawa… enfim, para a melhor análise e sugestões das ações.
    Em resumo, fazemos a utilização das ferramentas que forem aplicáveis para cada situação antes da execução da ação, daí vem plano de ação, etc… sem burocratizar com tantos documentos, como bem dito no post, mas sim com poucos documentos, simples e funcionais, integrados e práticos, afim de garantir o melhor entendimento, controle e registro das ações e validações das eficácias dessas.

    1. Davidson Henrique Ramos

      Fala Edu, tudo bem?

      A questão é exatamente essa: não burocratizar, ter flexibilidade para aplicar o método da maneira que melhor traga resultados para a empresa. Por isso cada vez que você aplica um novo ciclo, a ferramenta precisa mudar para se adaptar à nova situação.

      Parabéns pelo comentário! E obrigado por acompanhar a gente!

      Forte abraço!

  2. Pingback: 5 impostores na busca por confiabilidade nos processos

  3. Pingback: 6 princípios que norteiam empresas resilientes - Blog da Qualidade

  4. Pingback: Como fazer um bom indicador - Blog da Qualidade

  5. Pingback: Gestão de mudanças: porque as pessoas têm resistência a mudar - Blog da Qualidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blog da Qualidade

Artigos relacionados

ocorrênias 500x800