Cultura organizacional

O que é engajamento?

Cartoon de um homem desenhando a escada que ele mesmo está subindo, representando o que é engajamento segundo a perspectiva do arquivo.
Imprimir artigo

Existem várias formas de explicar e conceituar o que é engajamento. E faz algum tempo que quero falar sobre esse assunto e não sei bem o que dizer. Entretanto, mesmo analisando a probabilidade e o impacto deste post não ficar bom, resolvi aceitar o risco e contar com o seu comentário crítico como uma oportunidade para me desenvolver.

Sendo assim, quero expor minha visão (e talvez experiência) sincera sobre o que é engajamento. Com isso, talvez levantar uma discussão que não acontece sempre e que passa batido nas empresas.

O que é engajamento?

No dicionário, encontraremos a seguinte definição para engajamento:

en·ga·ja·men·to
(engajar + -mento)

substantivo masculino

  1. Ato ou efeito de engajar ou de se engajar.
  2. Envolvimento ao serviço de uma ideia ou de uma causa (ex.: engajamento político).

“engajamento”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://dicionario.priberam.org/engajamento [consultado em 18-09-2019].

Assim, segundo o dicionário, engajamento é o ato ou efeito de envolver-se ao serviço de uma ideia ou causa. Note que eu só juntei as duas definições que o dicionário me deu. E eu considero uma boa definição.

Ao ler essa explicação, automaticamente nos identificamos com as palavras “ideia” e “causa”. Afinal, são palavras muito fortes e que nos inspiram profundamente. Quando a li, a frase do V, do Filme (ou da HQ) V de Vingança, me veio à cabeça na hora:

Embaixo dessa máscara há mais do que carne. Atrás dessa máscara há uma ideia. E ideias, Sr. Creedy, são à prova de balas. (V de vingança)

Eu amo essa definição. E acredito profundamente que é importante se envolver com as coisas (sejam elas da empresa ou não) nesse nível. O problema é que isso, às vezes, cria uma romanização enorme.

O que acontece, então, é que nós esperamos que todo mundo ame a Qualidade. Que quando a gente falar sobre NCs, procedimentos, auditorias e etc, as pessoas saltem corações nos olhos de felicidade e contentamento. Mas sabemos muito bem que isso está muito longe de acontecer na maioria dos casos.

Frustração e desentendimentos?

E essa nossa romanização (afinal somos superengajados) nos faz sofrer mais e mais quando vemos uma ou outra cara feia.

Nos frustramos quando as pessoas se mostram resistentes às mudanças e quando precisamos montar uma ação enorme para conscientizar as pessoas. Nos frustramos porque ninguém quer debater os procedimentos ou porque ninguém na empresa lê o Blog da Qualidade. (me achei agora, pode falar! haha)

O pior de tudo: nós cobramos esse romantismo das outras pessoas e ignoramos todo o restante que elas fazem. E esse é o ponto chave que eu quero levantar:

Engajamento não é uma ideia ou causa, engajamento é ação!

Se você já pensou sobre o que é engajamento, ao ler esse título, pode confessar, doeu um pouco o coração aí, não foi?

Entretanto, e essa é apenas a minha opinião, engajamento é algo palpável, concreto!

Engajamento não é gostar de tratar NCs, é tratá-las. Não é ficar feliz por ter 20 documentos para revisar, é revisá-los. Não é parar por 2 horas para debater isso ou aquilo (não que não seja importante), é fazer o que é preciso para a empresa melhorar e ter mais resultado.

Exemplo PRÁTICO!

Recentemente, nós tivemos uma “experiência de engajamento” muito boa aqui na ForLogic, pois alcançamos 100% de pontualidade na coleta e analise de indicadores. Isso mesmo, conseguimos fazer com que TODO MUNDO fizesse suas coletas e análises dentro do prazo.

E é pra isso que quero chamar atenção. É claro que tivemos ações muito pontuais e certeiras do pessoal de Estratégia, Excelência e Gestão (EEG), isso foi fundamental. As meninas da EEG executam ações de engajamento na gestão de indicadores recorrentemente. Você pode acompanhar um pouco dessa ações nesse artigo da Viviam.

E é importante dizer tudo que é feito faz parte de uma estratégia clara! E isso significa dizer que as ações tiveram um resultado esperado claro, com ações de comunicação e de conscientização. E isso significa que houve muito trabalho envolvido! Engajamento pressupõe trabalho! Trabalho e muita empatia pra entender que as outras pessoas, talvez, estão em outro nível de consciência e competência.

De qualquer forma, você acha que, mesmo com todo esse trabalho, todos os colaboradores pararam horas do dia para refletir e debater a importância dos indicadores? Que eles fizeram discursos calorosos sobre eles e ficaram falando sobre isso na copa enquanto tomavam café? Não, eles definitivamente não fizeram isso. Eles coletaram e analisaram as coisas porque sabem que é importante e que isso ajuda a gente a corrigir os rumos da empresa.

Fizeram porque a ação é importante, e não por um motivo filosófico transcendental, entende?

Engajamento também é uma competência!

Pense comigo: se o engajamento fosse uma coisa de outro mundo, se fosse, de fato, filosoficamente transcendental, como você ia trabalhar isso na sua empresa?

Por isso, minha proposta para esse texto é que você entenda que engajamento é uma Competência! E como tal, ele é composto de Conhecimento, Habilidade e, no que tange a ação, Atitude!

Além de competência, engajamento também é uma questão de consciência! Então, não adianta apenas trabalhar para que as pessoas sejam competentes no que elas fazem, é preciso conscientizar as pessoas para que elas entendam porque é importante executar certas atividades (reforçando: lembre-se de que nem sempre as pessoas estão no mesmo nível de consciência que você).

Bom, era isso que eu tinha pra dizer. Agora, como disse no começo do artigo, conto o seu comentário crítico! Vamos trocar uma ideia nos comentários!

Autor

Comentários

Posts Relacionados

Várias pessoas conversando envolta de uma mesa, representando o planejamento estratégico e o aprendizado mútuo gerado pela discussão.
← Post mais recente
O planejamento estratégico e o aprendizado mútuo