Gestão de processos

Sistema Kanban de produção

Imagem de uma linha de montagem utilizando o sistema Kanban de produção.
Imprimir artigo

O Kanban é um sistema de controle de estoques criado para apoiar o método de produção enxuta da Toyota, o Just in time.

Criado na década de 40, o principal objetivo do Kanban é garantir uma gestão de estoques mais eficiente. Nele, os materiais necessários são disponibilizados (ou produzidos) o mais próximo possível da sua utilização na linha de produção.

Por meio do sistema de produção Kanban, é possível trabalhar com baixo nível de estoques, tendo em mão apenas o essencial ao funcionamento do processo. Essa otimização da gestão de estoques evita o acúmulo desnecessário de materiais e estoques, evitando também o desperdício de recursos.

Por trabalhar com uma quantidade de recursos muito próxima ao necessário para operação, outro objetivo fundamental do Kanban é garantir o abastecimento das linhas. Afinal, precisamos garantir que o processo não pare por falta de materiais.

Como funciona o Sistema Kanban de produção

Para executar esse controle de forma fácil, o sistema Kanban utiliza a gestão à vista. E é por meio dela que se determina a necessidade da reposição de estoques. Na técnica, existem 3 níveis de estoque a serem considerados, são eles:

  • Estoque mínimo: primeiramente, é preciso determinar qual a quantidade de unidades necessárias para o funcionamento do processo. Aqui, estabelecemos um número mínimo que mantem o processo funcionando.
  • Estoque de segurança ou Estoque médio: depois, define-se uma margem de segurança, para que o processo suporte possíveis variações de produção. Caso a demanda aumente ou aconteça algum imprevisto, o processo não irá parar por falta de estoque.
  • Estoque máximo: por último, determina-se uma quantidade máxima de estoque. Ao atingir o estoque máximo, os operadores do processo têm um gatilho de que aquele material não precisa mais de reposição ou compra, pois já ultrapassou a margem de segurança.

Cores e gestão visual no Sistema Kanban de produção

Determinadas as quantidades de estoque, cria-se então um quadro de gestão à vista em que as cores Verde, Amarelo e Vermelho representam os níveis de estoque:

  • Verde para Estoque máximo;
  • Amarelo para Estoque de Segurança;
  • Vermelho para Estoque mínimo.

Quais as quantidades para cada nível de estoque?

As quantidades estipuladas em cada nível de estoque (Verde, Amarelo ou Vermelho) têm de ser pensadas de acordo com o seu processo. Aqui, vale o uso de ferramentas de CEP (Controle Estatístico de Processo) para ter maior precisão e entender melhor o que é necessário para produção continua e eficiente.

Além disso, é possível fazer revisões periódicas afim de checar como o processo tem se comportado. Dessa forma, é possível calibrar se os estoques tem sido utilizados de acordo com os níveis estabelecidos.

Se, por exemplo, há mais de 3 meses um processo não consumiu os recursos do estoque de segurança, mantendo-se sempre no estoque máximo, talvez valha a pena reduzir as quantidades de estoque de ambos os níveis.

As cores ditam o ritmo de produção!

Conforme um processo (ou etapa intermediária de um processo) vai consumindo os níveis de estoque, o quadro vai sendo atualizado. Enquanto a gestão à vista permanece no Verde, os operadores sabem que não podem produzir mais componentes para aquele processo, pois o estoque já está acima do necessário.

Quando os níveis de estoque chegam ao Amarelo, o processo está trabalhando mais próximo de sua eficiência máxima. Afinal, não há excesso de estoque e, ao mesmo tempo, há uma margem de segurança em caso de variação.

Ao atingir o estoque mínimo (Vermelho), é preciso reabastecer aquela etapa do processo para garantir que ele continue funcionando. Assim, a cor vermelha no quadro de gestão à vista simboliza para os operadores que é preciso abastecer o estoque do processo.

Kanban: simplicidade e eficiência

O sistema Kanban de produção pode trazer grandes resultados para qualquer empresa. Fora a redução dos estoques, é possível perceber maior nível de organização dentro das linhas de produção, uma vez que o sistema cria um fluxo de abastecimento e produção entre as etapas do processo.

Devido a sua simplicidade, o Kanban pode ser implementado em qualquer empresa ou contexto. Pode-se inclusive, passar por alterações para se adequar a cultura ou as necessidades especificas do processo.

Por todos esses motivos, o Kanban ganhou seu lugar de destaques entre as ferramentas da qualidade e é utilizado até hoje, ajudando empresas a reduzir desperdícios, otimizar recursos e alcançar maiores resultados!

REFERÊNCIAS

ALVAREZ, Maria Esmeralda Ballestero. Administração da qualidade e da produtividade: abordagens do processo administrativo. São Paulo: Atlas, 2001.

TUBINO, Dalvio F. Manual de planejamento e controle da produção. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2000.

*Este artigo foi publicado originalmente em 29 de junho de 2012

Autores

Comentários

Posts Relacionados

Imagem de um fluxo com vários ícones que remetem a inovação e resultados.
← Post mais recente
Fluxo de tratativa de não conformidades: o que é e como montar