Blog da Qualidade

Por onde começo a implantar a Qualidade?

Receba Nossa News

Os conteúdos mais legais sobre qualidade, semanalmente em seu e-mail

Todos os dados inseridos aqui, estão resguardados pela Política de Privacidade da ForLogic, totalmente adequada a LGPD e ISO 27001 (Segurança da Informação).

Professor Antomar

Professor Antomar

Professor, Consultor e Autor de Gestão de Mudança e Melhoria de Processor. Foi consultor da United National Industrial Development Organizations - UNIDO, nas áreas de Gestão Estratégica de Negócios e Marketing. Possui o MBA Master Business Administration em Gestão Estratégica pela Qualidade, pela Grifo Enterprise / Tampa of University.

Em meu livro Housekeeping – Eliminando o Desperdício da Empresa, conto que certa vez perguntaram ao professor Kaoru Ishikawa, um dos “gurus da qualidade” e que criou em maio de 1950 um modelo prático para o combate às causas de perdas e desperdícios, ao qual deu o nome de “Regra dos 5S“, como deveriam iniciar a implantação da Qualidade na empresa, ele respondeu: “Qualquer programa de qualidade total se deve começar por uma faxina geral”, e aconselhou: “Comece varrendo! O housekeeping é uma grande faxina física e mental.”
Através de uma visão simplista é um programa de melhoria comportamental – eu até arriscaria dizer, de auto-educação – ele é mais do que uma limpeza material, o Housekeeping envolve uma mudança de postura e atitude, por parte de cada uma das pessoas da organização. A adoção da filosofia 5S implica, portanto, uma transformação permanente do ambiente e da cultura organizacionais.
A técnica foi desenvolvida no Japão e utilizada inicialmente pelas donas-de-casa para envolver todos os membros da família na administração da organização do lar.
No final dos anos 50, início dos anos 60, quando os executivos das indústrias japonesas começaram a implantar o sistema de Qualidade Total em suas empresas, eles perceberam que a técnica de Housekeeping, utilizado pelas donas-de-casa, seria um programa básico para o sucesso do sistema.
Cabe agora um a importante informação: empresa de qualquer porte ou segmento, lojas, escritórios e donas de casa podem – e devem – se beneficiar da técnica de housekeeping, conseguindo obter melhores resultados com menor esforço.
É um programa simples de ser aplicado. Por meio de trabalhos de racionalização, organização, limpeza, conservação e disciplina sua empresa se transformará num ambiente saudável para todos os colaboradores, clientes e fornecedores. No Brasil a técnica housekeeping é popularmente conhecida por 5S, iniciais dos cinco sensos ou palavras em língua japonesa que orientam o programa:

  1. Seiri – Senso de Seleção

Significa utilizar os recursos disponíveis de acordo com a necessidade e adequação, evitando excessos, desperdícios e má utilização.

  1. Seiton – Senso de Ordenação

Ordenar é organizar, de forma sistemática, os meios de trabalho (objetos, dados e equipamentos), de modo a ter acesso rápido e seguro a eles para sua utilização a qualquer momento.

  1. Seiso – Senso de Limpeza

É um compromisso, assumido pelos integrantes da organização, de responsabilidade pela limpeza de todos os aspectos do ambiente de trabalho e garantia de que ele seja aprimorado continuamente.

  1. Seiketsu – Senso de Bem-Estar

É a eliminação de fatores que possam atuar negativamente sobre as pessoas no ambiente de trabalho.

  1. Shitsuke – Senso de Autodisciplina

A autodisciplina é o cumprimento da missão e o aprimoramento do desempenho, de modo espontâneo, sem a necessidade de coação por parte da hierarquia ou pressão de grupo de pessoas.
Recomendo que a empresa contrate um consultor com conhecimento na área para ministrar cursos e acompanhar o programa da empresa e ajudá-los a elaborar um relatório mensal sobre desempenho da equipe.
O housekeeping deve ser implementado com o objetivo específico de melhorar as condições de trabalho e criar um “ambiente da qualidade”, ou seja, iniciar uma cultura da empresa que favoreça o aprimoramento contínuo.
Qualquer programa de melhoria necessita de cinco fatores-chave: (1) Educação e Treinamento; (2) Envolvimento de todos; (3) Metodologia adequada; (4) Assessoria de um consultor externo; e, (5) Apoio incondicional da alta-direção.
Por fim, a resposta que todos gostariam de ter feito: “o tempo médio de implantação”.  Ele varia de 3 a 6 meses de acordo com a maturidade e porte da empresa.
Agora que você conhece os preceitos do housekeeping comece agora mesmo a aplicá-lo. Os benefícios são inúmeros, pois a eficiência e a produtividade aumentam enquanto que o esforço necessário para realizar a mesma atividade diminui.
Pense nisto!

Sobre o autor (a)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blog da Qualidade

Artigos relacionados