Blog da Qualidade

[REVIEW] Qualicast #043 – Qualidade na área de Alimentos

Imagem retirada do qualicast sobre Qualidade na área de Alimentos

Neste texto vou explorar uma visão geral sobre assunto com base na discussão do Qualicast, episódio #043 – Qualidade na área de Alimentos. Esse Qualicast conta com a presença do Rogério Meira, da ATSG.

Normas que podem contribuir com a Qualidade na área de alimentos

Quando falamos da qualidade na área de alimentos, existe um número diverso de normas para a área de alimentos. Uma delas é a ISO 22.000:2018 – Segurança de Alimentos e especificações.

Há algum tempo, foi criada a GFSI (Global Food Safety Initiative), que, resumidamente, é uma cooperação que visa avaliar os diversos modelos desenvolvidos ao longo do tempo, para determinar um nível de equivalência. Há uma porção de modelos de sistema de gestão para segurança de alimentos

O GFSI avalia os três grandes elementos, os principais elementos do sistema de gestão em si, o APPCC (Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle), ou HACCP ( Hazard Analysis and Critical Control Point) e o BPF (Boas práticas de fabricação). 

Assim, uma vez atendendo esses requisitos mínimos, o GFSI coloca a norma num grupo que diz que ela tem equivalência na tratativa e segurança de alimentos.

Existe um sistema de certificação na área de alimentos, o FSSC (Food Safety System Certification), que está baseado em 3 grandes pilares: 

  • Atender integralmente a ISO 22000;
  • Atender o PPR (programa de pré-requisitos preconizados da ISO 22002)
  • Atender alguns requisitos específicos do próprio FSSC.

O caminho ideal seria estruturar o BPF (programa de boas práticas), depois estruturar o APPPC, tratar os riscos de todo o processo produtivo e após isso, inserir a ISO 22000, pois aí vamos começar a falar da estruturação do sistema de gestão, integrando de uma forma sistêmica.

Temos também o Codex Alimentarius é emitido pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e a FAO (Food and Agriculture Organization), que é um requisito legal de mais alto nível, ele orienta o desenvolvimento de definições e exigências para os alimentos.

Quais são os tipos de empresa que são impactadas?

A ISO 22.000:2018 separa três tipos de famílias de produtos:

  • Alimentos: produto para consumo humano;
  • Ração: alimentos que vão passar a ser de consumo humano;
  • Alimentos para animais: destinado para animais domésticos. 

Qualquer empresa que atue nessa cadeia, por exemplo, agricultores, embalagens, insumo, fabricante de alimentos, transporte, podem se adequar a ISO 22000.

Para empresas que prestam serviços à empresas da cadeia de alimentos, dependendo da natureza do seu serviço, pode ser que seja necessário o atendimento a ISO 22000, ou não. Entretanto, os provedores externos, mesmo que não precisem atender plenamente a ISO 22000, devem ter práticas que colaborem com a adequação aos requisitos, para que assim, haja um alinhamento de toda cadeia produtiva para aquele fim..

Olhando pelo ângulo econômico, qualquer organização gera passivos e tem riscos inerentes nas suas atividades. Quando você tem seu processo e você não tem um sistema que não tem como princípio a melhoria contínua, como a ISO 22000, você pode, eventualmente, correr alguns riscos que, se não monitorados, podem tomar proporções que podem até fechar um negócio. 

Existe uma grande diferença entre atender somente os requisitos legais e atender uma norma. Em uma certificação você “ganha” a melhoria contínua. O requisito legal, por definição, ele atende a lei ou não atende, ele não pode exigir melhorias da organização. As normas colocam a organização no caminho da melhoria contínua e assim, uma busca pela eficiência e eficácia de maneira sistêmica. 

Do ponto de vista econômico, temos a contenção de riscos, o ganho de eficiência e quando você tem uma norma internacional, abrem ainda mais portas. A certificação não necessariamente vai te ajudar a fazer negócio, mas ela vai ser o cartão de visita, aumentando a possibilidade de conseguir vender para fora, se essa for sua estratégia.

Existe relação entre a Qualidade na área de alimentos e as legislações da área?

Em todas as normas, não só a ISO 22000, exige identificação e atendimento dos requisitos legais que se aplicam ao seu negócio. E na segurança de alimentos, a identificação dos requisitos de legislação é um elemento chave, preciso atender os requisitos e eles integram o sistema de gestão.

Sobre o autor (a)

Artigos relacionados

Publicidade

Conheça nossos canais

Conheça o que CEOs e especialista nos assunto estão fazendo para desenvolver as estratégias de suas empresas

Planejamento Estratégico | Transmitido ao vivo em 21 de jan. de 2021

Qualicast - O Podcast da QUALIDADE

19 de março de 2021 | 55 min

Academia da Excelência