Blog da Qualidade

Indicadores SMART: Você tem metas ou intenções?

Receba Nossa News

Os conteúdos mais legais sobre qualidade, semanalmente em seu e-mail

    Todos os dados inseridos aqui, estão resguardados pela Política de Privacidade da ForLogic, totalmente adequada a LGPD e ISO 27001 (Segurança da Informação).

    Camila

    Camila

    Website | + posts

    Faço parte da equipe da Marketing da empresa Forlogic, estou prestes a me formar em Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas
    pela UTFPR. Gosto de pensar que os desenhos que faço são arte e que um dia irei parar de comprar mais livros do que posso ler. Você pode me encontrar no Facebook , Linkedin e Twitter.

    Há cerca de duas semanas atrás, a Monise publicou um post sobre as 3 características do plano de ação que não funciona!, que falava que metas mal estabelecidas não geram resultados. E realmente, quem nunca traçou, mesmo que mentalmente, uma meta assim que o ano começou e, com o passar do tempo, acabou percebendo que atingir a meta desejada seria mais difícil do que se imagina? Aliás, quantas metas você já deixou de lado desde o início desse ano? O que há de errado com sua definição de metas? Ao estabelecer uma meta, é comum cometer o erro de achar que ela está clara. É preciso lembrar que metas são feitas para alcançar um objetivo, de melhoria ou de crescimento, que deve ser bem especificado. Conheço muitas pessoas, inclusive eu, que traçaram a meta “começar a correr na praça perto de casa”. E nós nunca alcançamos a meta. Essa não é uma meta, é apenas uma intenção. Uma meta precisa ser visível. Ao invés de apenas querer correr na praça, minha meta será: “começar a correr às 18:30 hrs na praça, 3 vezes na semana a partir de amanhã, para que, dentro de doze meses, eu esteja correndo 10 quilômetros em menos de 60 minutos”. Observou como além de mais detalhada, minha meta também ficou mensurável e possível de ser atingida? Uma das ferramentas estratégicas que auxiliam na definição e alcance de resultados através de metas, é o chamado método SMART.

    Specific: Específica

    Sua meta precisa ser específica, contendo o objetivo principal, e responder às perguntas: o quê, quem, onde, quando e porquê.

    Mensurable: Mensurável

    Toda meta precisa ser medida, para que seja possível acompanhar a evolução dos resultados ao longo do prazo determinado. Para tanto, precisamos definir o quanto alcançar, seja aumentar o número de clientes de 100 para 120, ou diminuir o tempo de espera para atendimento da solicitação em 20%.

    Attainable: Alcançável

    Não existe um problema em ousar nas metas, mas é necessário estabelecer objetivos que realmente possam ser atingidos, do contrário é muito provável que suas metas não sejam alcançadas. Eu não vou conseguir correr 10 quilômetros no primeiro dia, e nem aumentar meu faturamento em 5 milhões em uma semana.

    Relevant: Relevante

    A meta da sua equipe está colaborando para a direção do objetivo maior da empresa. Cada colaborador pode possuir as mais variadas metas, desde que estas tenham o mesmo propósito. Um bom exemplo é verificar se todas as metas estão coerentes com a missão e valores da empresa. Você já fez isso?

    Time-Based: Temporal

    Toda meta precisa de um prazo. Metas com datas em aberto aumentam as chances de serem procrastinadas dentro da rotina do trabalho. “Preciso entregar a mercadoria até dia 30.” O método pode parecer burocrático, porém quanto mais detalhada a meta estiver, mais fácil será o entendimento sobre o que e como alcançar, além de quando tomar as ações, para que ela realmente seja colocada em prática. Vale lembrar que, além de ter um objetivo bem definido, é necessário ter o hábito de acompanhar as metas, seja através de um quadro na parede, uma agenda, uma lista, reuniões periódicas… Enfim, só o fato de deixar suas metas claras, aumentará a compreensão por parte da equipe e favorecerá os resultados para a empresa!

    Sobre o autor (a)

    15 comentários em “Indicadores SMART: Você tem metas ou intenções?”

    1. Pingback: O Brasil ainda precisa de Qualidade a essa altura? - Blog da Qualidade

    2. Pingback: ISO 9001:2015 – 9.1.3 Análise e avaliação (Requisito 9.1 – Parte 3) - Blog da Qualidade

    3. Pingback: #084 - Como elevar a maturidade da gestão em médias empresas

    4. Pingback: #004 - Visão geral sobre indicadores - Qualicast

    5. Pingback: #012 - Visão geral sobre o Balanced Scorecard (BSC) - Qualicast

    6. Pingback: Como e porquê desenvolver um bom plano de ação para o alcance de resultados

    7. Pingback: Não é planejamento estratégico, é divertimento estratégico! - Blog da Qualidade

    8. Pingback: 3 características do plano de ação que NÃO funciona! - Blog da Qualidade

    9. Pingback: Como você controla suas não conformidades? - Blog da Qualidade

    10. Pingback: Você conhece seus indicadores de esforço? - Blog da Qualidade

    11. Pingback: Quais novas ações você fará em 2016 que trarão resultados diferentes? - Blog da Qualidade

    12. Pingback: ISO 9001:2015 – Os objetivos da qualidade no SGQ - Blog da Qualidade

    13. Pingback: Execução: a importância de executar - Blog da Qualidade

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Blog da Qualidade

    Artigos relacionados

    Planos 500x800

    Já elaborou um super PLANO DE AÇÃO que não foi executado a tempo?

    O Qualiex pode te AJUDAR!