Blog da Qualidade

webinar ocorrências

O que o RH tem a ver com os requisitos ISO 9001:2015

Receba Nossa News

Os conteúdos mais legais sobre qualidade, semanalmente em seu e-mail

Todos os dados inseridos aqui, estão resguardados pela Política de Privacidade da ForLogic, totalmente adequada a LGPD e ISO 27001 (Segurança da Informação).

Vanessa Custódio

Vanessa Custódio

+ posts

Sou mestranda em Gestão Humana e Social, MBA em Gestão Estratégica de Pessoas, Pós Graduada em Psicologia Organizacional e graduada em Gestão de Pessoas. Sou consultora de Recursos Humanos e Qualidade na Pollon Consultoria. Sou apaixonada pelo meu trabalho realizo palestras e treinamentos em Qualidade e Recursos Humanos.

O conceito de competências é assunto muito frequente na área de Gestão de Pessoas e é também abordado nos requisitos da ISO 9001:2015. Uma definição muito conhecida de “competências” já tratada no Blog da Qualidade, é aquela que entende a competência como um conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes – o famoso “CHA”.

Entretanto, estudos recentes ampliaram essa concepção para “CHAVE”, passando a incluir nesse conjunto o V, de”valores”, e o “E”, cuja definição mais aceita é “entorno”. Antes de explicar o que essas novas letras significam, vamos relembrar o “CHA”:

  • Conhecimentos: estão relacionados aos saberes adquiridos pelo indivíduo. Está, geralmente, relacionado à escolaridade, como cursos, treinamentos ou graduações realizadas pelas pessoas. Seria o como fazer;
  • Habilidades: estão relacionadas à experiência prática do saber, à aplicação do conhecimento adquirido na rotina do colaborador. É o saber fazer;
  • Atitudes: são ações que demonstram o querer fazer ou o próprio fazer em si. Podem ser vistas como a manifestação do empenho, do saber e da experiência prática aplicada no trabalho.

Mas Ok! Isso nós já sabíamos, mas e essas duas novas letras? O que agregam a esse entendimento? Vejamos:

Valores

Todas as pessoas têm valores que fazem parte de suas chamadas “suposições básicas”, aquelas que fizeram parte da formação de sua base pessoal e que foram assumidas como verdadeiras. As Organizações também fazem a declaração de seus valores e os divulgam aos colaboradores e a todos os envolvidos com o negócio (os chamados stakeholders).

No que se refere à competência, o colaborador fará uma avaliação da relação entre os seus próprios valores e os declarados pela empresa, de modo que possa encontrar similaridade entre eles ou não. A similaridade encontrada funcionará como impulsionadora da identificação que o colaborador tem com a empresa e, por consequência, influenciará no seu desempenho.

Entorno

O Entorno faz referência à capacidade de adaptação e flexibilização do colaborador para interagir com o ambiente. Popularmente, chamamos isso de “jogo de cintura”, fazendo uma analogia com a capacidade de adaptar-se ao contexto organizacional.

A ISO 9001:2015 e a Gestão por Competências

Vejam que interessante, em Recursos Humanos tratamos competências como um conjunto de saberes aplicados à prática e capazes de transformar conhecimento em resultado. Olha a definição de competência estabelecida por Maria Tereza Fleury (2000):

“Saber agir responsável e reconhecido, que implica mobilizar, integrar, transferir conhecimentos, recursos, habilidades, que agreguem valor econômico à organização e valor social ao indivíduo”.

Da mesma forma, no que se refere a “ser competente”, a ISO 9001:2015, norma que descreve conceitos e princípios dos Sistemas de Gestão da Qualidade, define competência como “a capacidade de aplicar conhecimentos e habilidades para alcançar os resultados pretendidos” (requisito 3.10.4).

A norma, de forma resumida, e as definições entendidas por RH, sugerem caminhos parecidos. Cabe à empresa, então, numa parceria entre as áreas de qualidade e gestão de pessoas, encontrar as aplicações práticas desses conceitos para selecionar quais ferramentas serão as mais adequadas para a organização, por exemplo, na avaliação de desempenho, na seleção de pessoas, na execução de treinamentos e em tantas outras situações.

A Gestão por Competências e o requisito 7.2 da ISO 9001:2015

Se as empresas tiverem um modelo aplicado de Gestão por Competências, irão mais facilmente atender ao requisito 7.2 competências, da ISO 9001, porque naturalmente o requisito estará atendido ponto a ponto.

A ISO 9001, inclusive, diz que as organizações devem tomar ações para adquirir as competências, por exemplo: a provisão de treinamento, o mentoreamento, a mudança de atribuições de pessoas empregadas no momento ou contratar pessoas competentes. Tudo para garantir que quem esteja executando o processo seja competente.

A nova versão da ISO 9001:2015 apresenta um texto mais próximo dessa nova visão sobre competência que usamos em gestão de pessoas, pois associa não somente a definição de competências, mas também sua aplicação prática em resultados organizacionais, ou seja, direciona a aquisição de competências ao alcance dos resultados (ter competência para chegar mais longe).

Quanto a nós, profissionais de RH ou fãs da ISO 9001, precisamos ser cada vez mais corajosos e dedicados a aprimorar nossos Sistemas de Gestão da Qualidade, cuidando das competências de nossos times! Afinal a gestão de pessoas age como um suporte à qualidade, ajudando a garantir a competência dos colaboradores para executar os processos.

Sobre o autor (a)

6 comentários em “O que o RH tem a ver com os requisitos ISO 9001:2015”

  1. Nunca se falou em gestão de pessoas como este ano! Em tudo o que acompanho, o tal do RH nunca esteve tão presente!

    E, como costumo relacionar tudo ao futebol, é a mesma coisa: a tal gestão de pessoas está alçando times fracos à liderança e times fortes ao rebaixamento. Sintetizando: a gestão de pessoas é fazer com que os colaboradores/jogadores comprem a ideia do gestor. Antes, naturalmente, bons jogadores conquistavam títulos independentemente de relacionamento. Hoje, só foi trocar o Dunga pelo Tite para o Brasil sobrar nas eliminatórias. Os jogadores são praticamente os mesmos.

    1. Olá Ronaldo,
      Na minha trajetória profissional na área de gestão de pessoas tive a oportunidade de identificar e contribuir no desenvolvimento de muitos profissionais que se tornaram excelentes gestores. Entendo sua percepção de tudo parecer “uma grande dança das cadeiras”, realmente muitas organizações adotam essa postura. Mas minha experiência mostra que felizmente não são todas. Eu como uma grande entusiasta do futuro melhor, aposto na divulgação das coisas boas. Algumas pessoas permanecem fechadas em repetir os comportamentos criando um ciclo vicioso, outras decidem agir de forma diferente e recriar esses padrões. Como se fosse uma lupa sabe? Que aumenta o que focaliza! Agradeço sua interação, importante pensarmos sobre diferentes pontos de vista… que os novos jogadores se apresentem para o jogo e vamos juntos construir melhores gestões. Grande abraço!

  2. Prezados
    Um auditor que possui o treinamento de líder na versão 2008 da norma pode realizar auditoria na versão 2015 ? Qual a norma que trata dos treinamentos exigidos para um sistema de gestão ?
    Alex

    1. Olá Alex,
      O Auditor precisa ter conhecimento dos requisitos da ISO versão 2015. A ISO19011 é a norma que dá diretrizes para auditorias de sistemas de gestão.
      Grande abraço

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Blog da Qualidade

Artigos relacionados

ocorrênias 500x800

deixou de acompanhar as ações de
um projeto e ATRASOU a entrega?

O Qualitfy pode ajudar