Sistemas de gestão

Avaliação de fornecedores de serviços metrológicos

Imprimir artigo

Quando temos que avaliar fornecedores passamos a ter um grande problema. Como vamos avaliar um fornecedor que não conhecemos de forma profunda ou ao nível necessário sua atividade ?

Com relação aos prestadores de serviço de calibração e ensaio devemos definir a norma a ser utilizada, sendo aconselhável a utilização da NBR ISO/IEC 17025 ou a NBR ISO 10012.

Há uma diferença entre a NBR ISO/IEC 17025 e  NBR ISO 10012, sendo a primeira direcionada a prestadores de serviço de calibração e ensaio e também utilizada pelos CGCRE (Coordenação Geral de Acreditação do INMETRO) para acreditação de laboratórios. A segunda é direcionada a implantação de sistemas de gestão da qualidade nas organizações, a qual é complementar a NBR ISO 9001.

Em ambos os casos devemos observar:

  • Escopo de acreditação, caso este seja acredito – Informação importante pois o fato do laboratório pertencer a Rede Brasileira de Calibração (RBC) não quer dizer que todos os serviços prestados são acreditados.
  • Capacidade do laboratório – A capacidade do laboratório não está somente no fato de o laboratório possuir os padrões necessários para execução das atividades mas também na entrega do serviço dentro do prazo determinado. Afinal, nenhum prestador de serviço vai conseguir entregar 20 instrumentos em dois dias, quando é necessário uma hora para calibração de um instrumento. A não ser, que seja feita hora extra.
  • Análise crítica do pedido de compra – É na análise crítica do pedido de compra do serviço que o laboratório sabe se realmente pode atender a necessidade e urgência de cada empresa, caso esta exista.
  • Tratamento de reclamações – Saber a atenção dada pelo prestador de serviço aos seus clientes é importante, sendo válida a aplicação de ferramentas da qualidade para os casos da reclamação colocar em dúvida o resultado da calibração ou ensaio. Caso o laboratório não trate a causa raiz, a não conformidade poderá voltar a ocorrer e o instrumento poderá ser o seu.
  • Capacitação de pessoal – Se não soubermos o que estamos fazendo como poderemos ter atenção a detalhes? Em metrologia qualquer detalhe e informação obtida na medição é função para declaração do resultado.
  • Controle ambiental – Para algumas calibrações é importante que as condições ambientais sejam efetivamente controladas pois influenciam diretamente no resultado.
  • Gestão de instrumentos e equipamentos – Quando falamos em gestão estamos considerando tempo de utilização, manuseio correto, guarda, transporte, manutenções e correções. Não devemos ficar atrelados única e exclusivamente a periodicidade de calibração.
  • Procedimento de calibração ou ensaio – Saber se o procedimento utilizado é um procedimento validado é de grande importância pois garante homogeneidade nos resultados declarados por diversos laboratórios. É óbvio que a execução correta deste deve ser observada.
  • Metodologias de cálculo – Comprovar a execução do ISOGUM é obrigatório para qualquer declaração da incerteza da medição.
Este é o primeiro post abordando a avaliação de fornecedores metrológicos, em publicações futuras discutiremos mais sobre o tema.

 

Autores

Comentários

Posts Relacionados

← Post mais recente
Gerência da qualidade no setor de serviços