Sistemas de gestão

Processo de Medição e a Análise Crítica – MPS-BR

Processo de Medição e Análise Crítica Qualidade
Imprimir artigo

Como já vimos o que é o MPS-BR, hoje vamos entender um pouco mais sobre sua prática.

Para a implantação da norma ISO 9001 e do modelo MPS-BR nível F, foi necessário conhecer e aplicar o processo de Medição. Segundo guia de implementação MPS-BR o propósito desse processo é coletar, armazenar, analisar e relatar os dados relativos aos produtos desenvolvidos e aos processos implementados na organização e em seus projetos, de forma a apoiar os objetivos organizacionais. Para a ISO a medição demostra a conformidade aos requisitos do produto, assegura a conformidade e a melhoria contínua do sistema de gestão da qualidade.

O foco principal desse processo é fornecer informações no qual a gerência possa se apoiar para tomar decisões relacionadas aos projetos e processos da empresa. Tem como objetivo também fornecer dados que facilitam acompanhar se os objetivos estratégicos estão sendo alcançados.

A necessidade de se medir pode ser resumida em uma frase de Tom de Marco: “Não se pode controlar o que não se pode medir” [DEMARCO, 1982]. Esse processo, tem a intenção de livrar os gestores do tal “achismo”, tomando como base análises históricas que permitem a identificação de tendências, proporcionando uma tomada de decisão mais rápida e precisa.

Uma atividade importante desse processo tanto para a ISO 9001 quanto para o MPS-BR nível F é a reunião de análise crítica, que deve ser realizada durante um determinado período de tempo, com a intenção de se discutir com a alta direção, os resultados das medições, visando assegurar a contínua adequação do sistema de gestão da qualidade. Deve incluir a avaliação de oportunidades para melhoria e necessidade de mudanças no sistema de gestão. Durante a reunião são abordados os seguintes itens, para a ISO 9001:

  • resultados de auditorias;
  • realimentação de clientes;
  • desempenho de processo e conformidade de produto;
  • situação das ações preventivas e corretivas
  • ações de acompanhamento sobre as análises críticas anteriores pela direção;
  • mudanças que possam afetar o sistema de gestão da qualidade; e
  • recomendações para melhoria.

 

Para o MPS-BR:

  • medições para o processo de gerência de Requisitos;
  • para o processo de gerência de Projetos;
  • para o processo de gerência da Qualidade;
  • para o processo de gerência de Aquisição;
  • para o processo de gerência de Configuração;
  • para o processo de gerência de Portfólio;
  • para o próprio processo de gerência de Medições;

 

O Processo de Medição é de grande ajuda para o acompanhamento e apoio ao crescimento da empresas, só atente-se ao fato de que nada adianta medições apenas para cumprir as normas, se os valores não indicarem algo significante à empresa, que ajude a melhora-la e alcançar seus objetivos estratégicos.

 

 

Referências:
Guia de Implementação MPS-BR ? Parte 2: Fundamentação para a implementação do Nível F do MR-MPS.
ABNT NBR ISO 9001: 2008 ? Sistemas de Gestão da Qualidade ? Rio de Janeiro.
DEMARCO, T. Controlling software projects, Yourdon Press Prentice-Hall, 1982.

Autor

Comentários

Posts Relacionados

Custo da Qualidade Qualidade
← Post mais recente
Qual o Custo da Qualidade?