Cultura organizacional

Por que as ações de engajamento não funcionam?

Imagem de um homem de terno com um saco de pão na cabeça, simbolizando a apatia não quebrada pelas ações de engajamento.
Imprimir artigo

A Vivian escreveu um artigo muito legal explicando algumas ações de engajamento que nós executamos aqui na ForLogic. Graças a essas ações e ao ótimo trabalho que as meninas da estratégia (Aqui na ForLogic, a estratégia é um empreendimento formalizado!) fazem, mais de 90% dos nossos indicadores são analisados dentro do prazo.

Esse é um case de sucesso em que as ações da empresa funcionam, em que conseguimos o engajamento das pessoas. Porém, eu sei que muito profissionais fazem ações tão interessantes quanto as que a Vivian descreveu no artigo dela e, mesmo assim, nada acontece… As pessoas não analisam os indicadores, não tratam as NCs, não executam os planos de ação, e por aí vai.

Nesses casos, eu sei que o cansaço, o desespero e a frustração batem forte. Principalmente porque não sabemos “Por que as coisas não funcionam na minha empresa?”. Então, gostaria de refletir um pouco sobre isso, e dar minha opinião sobre esse assunto. Para mim, há 2 grandes motivos para as ações de engajamento falharem:

1º – Ações de engajamento não tem a ver com motivar, tem a ver com ajudar as pessoas a fazerem o trabalho delas

Isso é uma confusão comum, pois pessoas acreditam que trabalhar engajamento é trazer palestras motivacionais. Daquelas com frases de impacto e tudo mais. E acredite, isso não tem nada a ver com engajamento.

Se você ler o post da Vivian com calma, vai perceber que nenhuma das ações é motivacional. Que tudo é feito com 2 intenções principais: Lembrar as pessoas de que essa é a semana do indicador, e; Conscientizar as pessoas de que analisar os indicadores é importante para analisarmos o desempenho da empresa.

Não tem a ver com motivar os colaboradores, mas sim com ajudá-los a priorizar as coletas e análises. É como a própria Vivian disse no post dela:

Com todas essas ações, é impossível esquecer que, na Semana do Samba, todos devem parar uns minutinhos para analisar os resultados dos seus processos

Mas qual é o problema com a motivação?

Quando você direciona as ações de engajamento com o intuito de “motivar as pessoas”, você acaba focando apenas nelas. Como se as pessoas fossem o problema. E aí, o que acontece? Você não atua no processo, não corrige a causa raiz da falta de engajamento.

Pense comigo: se você acredita que a pessoa que trabalha no processo é mal-intencionada, você vai continuar trabalhando com ela? Acredito que não, certo? Então, o problema da falta de engajamento não está na pessoa, mas sim no processo que ela executa. O processo não ajuda a pessoa a se engajar na qualidade. E aí chegamos ao segundo ponto do meu texto:

2º – Não adianta executar 1000 ações de engajamento se a Qualidade é impossível de ser executada

Todas as ações que a Vivian relatou tem como suporte o nosso software de gestão de indicadores, o Forlogic Indicators. Ela inclusive cita o software no artigo, mas nas ações que ela executou, você viu alguma menção ao software? A resposta é não!

Ela não precisa explicar para as pessoas como coletar e analisar os indicadores, porque todos já passaram por treinamento e o software é simples de usar. Eu mesmo, sento na minha mesa, abro o software e faço todas as minhas coletas e analises em menos de 30 minutos. (Exceto as de periodicidade mensal, que levam um pouquinho, mais de tempo)

Agora imagine se, depois de buscar pipoca na cozinha ou receber a listinha de indicadores, o colaborador tivesse de sair correndo pela empresa para coletar os dados que ele precisa para analisar o indicador. Se não tivesse certeza de que os números do indicador são os corretos. (Ps: se você não entendeu o “buscar pipoca na cozinha ou receber a listinha de indicadores”, leia o post da Vivian, hehe)

Conheço o case de uma profissional que tinha uma planilha de indicadores que leva 45 minutos para abrir. 45 minutos carregando dados de muitos anos e “às vezes dava uma travadinha, né?”.

Às vezes, o problema não é o engajamento!

Você entende que, em um caso desses, não existe problema de engajamento? Afinal, o problema aqui é de execução mesmo. um problema de execução causado por um problema de recursos (ou falta deles, rs).

Não dá pra coletar indicadores se não existe onde coletar ou se não é possível usar a ferramenta. Da mesma forma, não dá pra tratar NCs se elas não são coletadas. Não dá pra executar planos de ação sem notificar os responsáveis. Etc. etc. etc.

Aí a gente volta a questão da causa raiz, algo básico que nem sempre levamos em conta. Não dá pra combater a falta de engajamento, porque a falta de engajamento não é causa, é efeito!

Nosso trabalho, então, é identificar a causa, atacá-la e garantir que ela nunca mais volte acontecer. E essa é a maior de todas as ações de engajamento: garantir que as pessoas consigam fazer o trabalho delas da melhor forma possível. Se a sua empresa for mestre nisso, não existe problema de engajamento que se sustente.

Autor

Comentários

Posts Relacionados

Imagem de uma sequência de dominós em queda sendo interrompida por uma mão, representando a importância de saber como fazer Planos de Contingência e da Gestão de Riscos.
← Post mais recente
Como fazer Planos de Contingência para amadurecer sua Gestão de...