Blog da Qualidade

Mitos e crenças comuns sobre Auditorias Internas da ISO 9001:2015

Receba Nossa News

Os conteúdos mais legais sobre qualidade, semanalmente em seu e-mail

    Todos os dados inseridos aqui, estão resguardados pela Política de Privacidade da ForLogic, totalmente adequada a LGPD e ISO 27001 (Segurança da Informação).

    Davidson Ramos

    Davidson Ramos

    Website | + posts

    Auditor Líder ISO 9001:2015 e autor de centenas de artigos sobre Gestão da Qualidade, sempre acreditei que as pessoas têm o poder de mudar o mundo a sua volta, desde que estejam verdadeiramente engajadas nisso. Por isso me dedico a ajudar as pessoas a criar laços verdadeiros com seu trabalho, porque pessoas engajadas mudam o mundo!

    É comum ouvir que as auditorias internas da ISO 9001:2015 causam pânico nas empresas (às vezes, tanto quanto as externas). E em muitos casos, isso se deve a falta de informação e a dúvidas que poderiam evitar muita dor de cabeça.

    Digo isso porque muitas das NCs detectadas nas auditorias externas são fruto de descuidos, falhas no processo de auditoria interna. Por isso, no artigo de hoje, gostaria de falar sobre alguns aspectos básicos sobre auditorias internas da ISO 9001:2015.

    São questões relativamente simples, mas que sempre geram confusão e sempre são alvo de perguntas aqui no blog. Espero que esse artigo te ajude a derrubar esses mitos e crenças e a executar auditorias melhores. Além disso, você pode aplicar essas dúvidas a quase todas as normas de gestão, pois os princípios são os mesmos. Então, vamos lá!

    Auditor pode auditar o próprio processo?

    Essa é campeã entre as dúvidas sobre auditorias internas da ISO 9001:2015. E a resposta é não! Auditor não pode auditar o próprio processo. E isso se deve a 2 motivos básicos:

    1. Um dos pilares da auditoria é manter a imparcialidade, e alguém auditando o próprio processo pode interferir nisso;
    2. Muitas vezes, quando nós executamos o processo diariamente, deixamos de perceber detalhes importantes e falhas que podem estar ocorrendo. Isso não é má fé ou coisa do tipo, mas pode ser que entremos no automático e as coisas não apareçam para nós.

    Posso contratar uma empresa externa para fazer auditorias internas da ISO 9001:2015?

    Sim, é possível contratar uma empresa externa para executar as auditorias internas da ISO 9001:2015. Só é preciso garantir que a empresa contratada siga as diretrizes da norma para auditar. Além disso, alguns itens precisarão de certa ação conjunta de ambas as empresas, como a definição dos critérios e do escopo da auditoria interna (9.2.2, alínea b).

    Quanto a terceirizar ou não as auditorias internas, vale a pena entender o contexto.

    Realizar auditorias internas com colaboradores internos vai requerer treinamento e competência, o que pode ser um grande salto para sua empresa. Afinal você estará capacitando pessoas que vão usar os conhecimentos não só nas auditorias, mas no próprio dia a dia. Mas isso também vai gerar custos, afinal você vai precisar treinar as pessoas. (Aqui na ForLogic, contratamos treinamentos e formamos 2 turmas de Auditores Líderes ISO 9001:2015)

    Uma empresa externa também vai gerar custos. E nesse requisito, o tamanho da sua empresa e o contexto é que vão determinar o que sai mais barato: treinar internamente ou contratar. Além dos custos, em alguns casos, a equipe interna já não consegue mais visualizar melhorias (mesmo quando bem treinada), por estarem muito habituadas aos processos, então é uma opção interessante ter uma visão externa. Para enxergar pontos de melhoria que a equipe ignora.

    Resumindo: contexto é, sempre, tudo!

    Preciso auditar todos os meus processos?

    Quanto a essa dúvida, temos um parêntese a abrir. Pois temos o que a norma pede, e temos a visão que literalmente pregamos aqui no Viver Excelência. Vamos lá:

    O que a norma pede?

    Se nós estamos falando sobre as auditorias internas da ISO 9001:2015, não, não é preciso auditar todos os processos.

    Para se certificar, você precisará auditar os processos que foram definidos no seu escopo de certificação. São eles que vão ser auditados também externamente, no momento da auditoria de manutenção/obtenção da certificação.

    O auditor externo entrevista as pessoas dos processos por amostragem e, na ISO 9001:2015, os processos considerados são aqueles que afetam a qualidade do produto/serviço. Então, os processos que são obrigatórios também na auditoria interna são exatamente esses: os que afetam a qualidade do produto/serviço. (haha, desculpem a redundância, mas era para reforçar mesmo)

    O que nós acreditamos

    Aqui no Viver Excelência, nós acreditamos em Qualidade de verdade, e não em obter certificação. Por isso acreditamos que todos os processos devem ser auditados. Nossa auditoria interna da 9001 foi assim, auditamos todos os processos. (eu fui um dos auditores internos, inclusive)

    Isso também não significa que você tenha de auditar todos os processos de uma vez. Você pode fazer um planejamento de auditorias para fazer o trabalho que deseja e levando em consideração o tempo disponível para executá-lo. Pode, por exemplo, começar auditando seu escopo de certificação e, depois, evoluir para outros processos. Isso ajuda, inclusive, a trabalhar com mais maturidade nos novos processos.

    Qualquer colaborador pode fazer Auditorias Internas da ISO 9001:2015?

    Aqui, podemos dizer que temos uma espécie de paradoxo. Porque a resposta é sim e não.

    Às vezes, recebemos dúvidas de pessoas que perguntam se ser auditor interno está, de alguma forma, ligado a hierarquia da empresa. Se só supervisores ou gerentes podem ser auditores internos. E a resposta é não. Ser auditor não tem a ver com hierarquia, qualquer colaborador tem potencial para ser auditor interno.

    Porém, para ser auditor, o colaborador tem de ter competência nisso. Tem de conhecer a norma que será auditada e os processos de auditoria. Além, é claro, da competência que ele tem de ter em comunicação da pessoa! Afinal, o auditor interno vai lidar com pessoas, processos, e por aí vai..

    Então, qualquer colaborador pode ser auditor, mas como nem todos têm competência nisso, assim, nem todos os colaboradores podem executar Auditorias Internas da ISO 9001:2015.

    Auditores formados na versão 2008 da norma podem auditar a versão 2015?

    Apesar de a transição já ter ido embora, essa ainda é uma dúvida comum. Além disso, sempre há normas em transição e o que vou falar aqui serve para elas também.

    Como vimos no tópico anterior, o colaborador precisar ser competente para poder auditar. E isso envolve conhecer muito bem a norma. Quando uma norma de gestão é atualizada, como a 9001 constantemente é, é preciso se atualizar nas mudanças para adquirir competência na nova versão.

    Então, para executar Auditorias Internas da ISO 9001:2015 é preciso ser capacitado na versão 2015. (se você quiser se aprofundar um pouco mais, nos comentários do artigo 5 princípios para conduzir auditorias internas da ISO 9001:2015, o Wilson Silia fala sobre como fazer essa atualização, vale a pena ler tanto o post quanto o comentário, hehe)

    E aí, você, tem mais dúvidas sobre Auditorias Internas da 9001:2015?

    Essas são algumas dúvidas comuns de pessoas que realizam Auditorias Internas da 9001:2015. Elas chegaram para nós a partir do contato do Blog da Qualidade, comentários de posts, nossos grupos do Telegram/WhatsApp, e-mails, enfim.

    Apesar de parecer simples, elas já tiraram o sono de muita gente. Espero que eu tenha esclarecido e que esses mitos e crenças tenham sido quebrados, haha.

    Tem uma dúvida sobre Auditorias que não foi respondida nesse post? Deixe-a escrita nos comentários! Estaremos atentos a elas! 😉

    Sobre o autor (a)

    15 comentários em “Mitos e crenças comuns sobre Auditorias Internas da ISO 9001:2015”

    1. Rossana Oliveira

      Boa noite. Tenho formação da ISO 9001:2015 mas não tenho formação da ultima versao da norma 19011. Posso auditar? Obrigada.

    2. Na versão 2008 era explícito, no requisito de auditoria interna, que não podia-se auditar o próprio processo. Qual o sentido disto ter sido modificado/suprimido na versão 20015? Penso que no mínimo tenha sido instigar a um novo entendimento ou outras possibilidades? O que acha?

      1. Olha, acredito que tenha sido retirado por ser algo que já está incorporado nos sistemas de gestão. Mas concordo que é algo que pode ser revisitado. Depois que terminei esse post fiquei pensando em contextos específicos, onde seria complicado alguém além do próprio dono auditar o processo, então creio que, como sempre, o contexto tem muito peso em qualquer tipo de decisão. (Ps: isso é mais uma opinião minha mesmo)

    3. As auditorias internas referente ao atendimento da Norma IS0 9001;2015 de uma empresa podem ser realizadas de surpresa? Isto é, não ser comunicadas e acordadas diretamente com os responsáveis.
      Faço este questionamento devido a um case de empresa com um bom entendimento de gestão da qualidade, porém recentemente o gerente da qualidade em conjunto com o diretor determinaram que as auditorias internas principalmente as de filais sejam de surpresas, sem que os responsáveis e as equipes sejam comunicadas.

      1. Não tem nada na norma que impeça a empresa de fazer auditorias surpresas (9001 e 19011), mas vale reforçar com o gerente e diretor que as auditorias deste modo podem ferir o princípio da transparência com os colaboradores, e, estes podem achar que a empresa desconfia deles, etc. Não consigo imaginar os benefícios de uma auditoria surpresa.
        Se querem pegar erros, eu sugiro que a frequência de auditoria seja em intervalos menores, mas o objetivo de uma auditoria é de verificar as conformidades e pegar erros é apenas uma consequência da atividade de auditoria.

    4. Francisca Navarrete Limonta

      La auditoria internas, es un instrumento de mucha utilidad, te permite monitorear cualquier proceso en las activiades, por eso para mi siempre La Auditoria es “mejor prevenir que curar”, en cualquier dimension.Gracias….

    5. Quanto a capacitação de auditores internos, todos precisam passar por treinamentos externos? Um auditor interno com treinamento externo pode treinar internamente outras pessoas?

      1. haha, boa pergunta @la_ssa_r:disqus. E parece até pegadinha. A questão aqui é comprovar a competência, e um curso externo é sempre mais fácil de ser comprovado, entende? Se for feito internamente, é necessário que se tenha meios de comprovar as competências adquiridas, ou seja, é preciso que, assim como um treinamento externo, haja um programa bem definido e registros do que foi feito, inclusive com “testes” ou coisa assim.

        Um auditor interno com treinamento externo pode treinar internamente outras pessoas?“. Voltamos à mesma teoria, esse auditor interno tem de ser competente em tornar outras pessoas competentes. Então será preciso comprovar que ele tem as habilidades necessárias para isso.

        Espero ter ajudado, forte abraço!

    6. É possível recusar ou questionar um relatório de auditoria interna realizada (contratada) por terceiros? Auditor fez diversos apontamentos desnecessários e que discordamos. Como me embasar para abordar esse assunto com o auditor?

    7. Um auditor interno pode fazer consultoria em empresas, realizar auditorias internas e formar outro auditor? Ou somente um auditor Líder pode fazer isso?

    8. Pingback: A ISO 9001 não será atualizada, e por que deveria? - Blog da Qualidade

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Blog da Qualidade

    Artigos relacionados

    Planos 500x800

    Já elaborou um super PLANO DE AÇÃO que não foi executado a tempo?

    O Qualiex pode te AJUDAR!