Ferramentas da qualidade

Desempenho nas operações: como medir e melhorar?

Melhoria de desempenho
Imprimir artigo

Todas as operações produtivas precisam de alguma forma de medida de desempenho e os indicadores são praticamente um pré-requisito para que as operações sejam melhoradas. Em posts anteriores falamos sobre indicadores de desempenho e indicadores como ferramenta de gestão, agora vamos aprofundar um pouco mais em como as medidas de desempenho podem ser organizadas.

Medida de desempenho é o processo de quantificar a ação, onde medida significa o processo de quantificação e o desempenho da produção é presumido como derivado de ações tomadas por sua administração. O desempenho é definido como o grau em que a produção preenche os cinco objetivos de desempenho (qualidade, rapidez, confiabilidade, flexibilidade e custos), de forma a satisfazer seus consumidores.

Os cinco objetivos de desempenho podem ser vistos como dimensões do desempenho global que satisfazem os consumidores. As necessidades do mercado e as expectativas quanto a cada objetivo de desempenho vão variar, como também a extensão em que a produção atende às necessidades do mercado. Além disso, os requisitos do mercado e o desempenho da produção também podem mudar ao longo do tempo.

 

MEDIDAS DE DESEMPENHO

Os cinco objetivos de desempenho são compostos por várias medidas. Por exemplo, o custo de uma operação provém de vários fatores, que podem incluir a eficiência de compras da operação, a eficiência com a qual ela converte os materiais, a produtividade de seu pessoal, etc. Esses fatores individualmente, dão uma visão parcial do desempenho de custos da produção e muitos deles se sobrepõem em função da informação que incluem. Todavia, cada um deles dá uma perspectiva do desempenho de custos da produção, o que poderia ser util para identificar áreas que poderiam ser melhoradas  e monitorar a extensão desses melhoramentos. Se a produção considera seu desempenho em custo como satisfatório desdobrando-o em eficiência de compras, eficiência de transformação, produtividade do pessoal, etc., pode explicar as causas raízes do mau desempenho. Se as causas significativas do mau desempenho podem ser identificadas, também podem ser rastreadas ao longo do tempo para avaliar o grau de melhoramento da organização.

O quadro abaixo mostra algumas medidas parciais que podem ser usadas para julgar o desempenho de uma operação produtiva.

 

PADRÕES DE DESEMPENHO

Após uma operação ter medido seu desempenho através de um conjunto de medidas parciais, precisa identificar se seu desempenho é bom, ruim ou indiferente. Há várias formas de se fazer isso, as quais envolvem comparação do nível de desempenho atingido atualmente com algum tipo de padrão. Quatro tipos de padrões são geralmente utilizados para identificar o desempenho das operações: padrões históricos, padrões de desempenho alvos, padrões de desempenho da concorrência e padrões de desempenho absolutos.

1. Padrões históricos: significa comparar o desempenho atual com desempenhos anteriores. Por exemplo, se uma empresa atualmente demora 7 dias para entregar seus produtos a seus clientes, sendo que no ano anterior levava 10 dias, seu desempenho poderia ser julgado como bom. Os padrões de desempenho histórico são efetivos quando julgam se uma operação está melhorando ou piorando com o tempo, mas não oferecem nenhuma indicação de que o desempenho poderia ser considerado satisfatório.

2. Padrões de desempenho alvos: São estabelecidos arbitrariamente para refletir algum nível de desempenho que é visto como adequado ou razoável. Por exemplo, se é considerado razoável que o cliente receba seu produto em 7 dias conforme citado no exemplo anterior, então o desempenho de uma operação que faz a entrega em 7 dias será considerado aceitável.

3. Padrões de desempenho da concorrência: comparam o desempenho atingido pela produção com o desempenho seus concorrentes. Por exemplo, se a empresa entrega seu produto ao cliente em 7 dias e seu concorrente em 5 dias, seu desempenho poderá não ser considerado bom.

4. Padrões de desempenho absolutos: é tomado em seus limites teóricos, ou seja, o padrão de qualidade de ?zero defeitos? ou padrão de estoques de ?zero estoque? são padrões absolutos, que talvez nunca sejam alcançados na prática, mas permitem a operação programar-se em relação ao limite teórico. No exemplo anterior, o produto que demora 7 dias para ser entregue ao cliente, pode levar 4 horas para ser produzido e entregue ao consumidor, mas na prática, a operação jamais irá atingir um tempo de entrega de 4 horas, mas o padrão mostra como a operação poderia teoricamente melhorar.

 

Medir o desempenho e levantar formas de melhora-lo é essencial para a sobrevivência das organizações. Lembrando que existentes várias ferramentas da qualidade que poderão apresentar dados precisos de desempenho e levantar a causa dos problemas identificados.

 

Uma boa dica de software de Gestão de Indicadores de Desempenho é o Forlogic Indicators.

 

REFERÊNCIA

SLACK, Nigel. CHAMBERS, Stuart; JOHNSTON, Robert. Administração de Produção. São Paulo: Atlas, 2009.

Autor

Comentários

Posts Relacionados

sistemas de produção
← Post mais recente
Sistemas de Produção