Melhoria contínua

Está permitido errar, mas…

errar
Imprimir artigo

Não é um texto necessariamente sobre erros, mas sobre a maneira certa de errar, porque sim, existe uma maneira certa de cometer erros. Primeiro é importante deixar claro que erros são indesejáveis, eles não devem ser estimulados ou aplaudidos. Erro como o nome diz, é algo que não deve ocorrer, mas ocorreu, e o que vamos tratar aqui é de que forma devemos errar.

Um ponto importante é que estamos em um mundo que nos impele a inovação, ao descobrir o novo, e ao tentar. Sem erros isso é impossível, se tudo que você fizer de novo der certo na primeira tentativa, você é um gênio e muito provavelmente teremos seu nome no Prêmio Nobel em alguns anos. Como isso não ocorre, os erros aparecem e aí que está o segredo. Você deve sempre cometer erros interessantes, erros que vem de tentar novas coisas e coisas importantes.

Esse artigo surgiu de uma Frase que ouvi do sempre bom, Luciano Pires, que diz:

“O tipo de erro que você comete, define o tipo de pessoa que você é”.

Quem não erra é porque não tenta nada novo, e se for pra errar, erre sempre tentando inovar e melhorar.

Outra coisa que deve ser observada, e que com certa frequência eu repito: erro bom é erro novo. Erro repetido é o erro inaceitável, você já fez e não aprendeu com isso. Na nossa linguagem da qualidade, é uma não conformidade recorrente, já devíamos ter corrigido esse processo e aprendido com isso, mas isso não ocorreu. Esse é o erro que não queremos e não desejamos, assim como o erro que foi cometido sem a busca de uma melhoria, por pura desatenção, ou falta de atitude, esse também não interessa.

Resumindo, erre, mas erre sempre uma única vez, e aprenda com seu erro, isso vai impulsionar você pra frente, e aumentar a qualidade do que você faz.

Autor

Comentários

Posts Relacionados

swot
← Post mais recente
Seis critérios para uma Análise SWOT produtiva