Sistemas de gestão

OHSAS e ISO 45001: o que realmente mudou?

Pessoas usando EPI em uma linha de produção cuja ISO 45001 foi implantada.
Imprimir artigo

Desde sua publicação em 12 de março de 2018, a pergunta que mais vem sendo feita é: afinal, o que mudou da OHSAS 18001 para a ISO 45001? Mas antes de ler esta publicação, se você quiser ter uma visão geral sobre a ISO 45001, leia aqui!

A ISO 45001 é uma norma internacional para o Sistema de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional (SGSSO), cujo principal papel é trazer melhorias referentes a saúde e segurança do colaborador em seu ambiente de trabalho, além de preservar a empresa evitando acidentes em suas atividades.

Desenvolvida para implantação em diversificadas empresas, de todos os tamanhos e setores, a ISO 45001 vem com o objetivo de direcionar as organizações de forma eficaz na melhoria da segurança dos trabalhadores de todo o mundo. Sua estrutura permite uma alta compatibilidade com as outras normas de Sistemas de Gestão, tornando ainda mais fácil a decisão da implantação da ISO 45001 às empresas que já atuam num padrão ISO ou que já possuem a ISO 9001 e/ou ISO 14001.

Esta estrutura baseia-se no modelo simples da metodologia Plan-Do-Check-Act (PDCA), a qual fornece uma base para que as empresas planejem ações necessárias para minimizar o risco de ocorrer danos. Estes danos estão ligados a problemas de saúde do colaborador a curto e longo prazo, bem como ausência no trabalho e que resultem em acidentes. Sua estrutura também será a mesma das outras normas de Sistemas de Gestão publicadas pela ISO a partir de 2012, o que evita conflitos na leitura entre elas, facilitando imensamente na construção de um Sistema de Gestão Integrado e melhor conexão entre a ISO 9001, ISO 14001 e ISO 45001.

QUAL É O PRAZO PARA A MUDANÇA da OHSAS para a ISO 45001?

A ISO 45001 irá substituir a OHSAS 18001, referência mundial até o momento para o tema de saúde e segurança do trabalhador e amplamente implantada em muitas empresas do mundo todo. Para quem já possui esta certificação, terá o prazo de três anos a partir da data de publicação (12 de março de 2018) para realizar a substituição e adequação. Portanto, atente-se! O quanto antes a empresa realizar esta transição, mais tempo ela terá para se adaptar ao modelo e conscientizar toda equipe às mudanças necessárias.

MAS O QUE MUDOU?

A ISO 45001 possui uma estrutura que se conecta diretamente às outras normas de Sistemas de Gestão, com os principais pontos de mudança:

  • Contexto da Organização: a norma traz a necessidade da organização de compreender o contexto em que está inserida, levantando questões externas e internas relevantes para o seu propósito e que afetem sua capacidade de alcançar os resultados pretendidos de seu Sistema de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional (SGSSO).
  • Alta Direção: a norma mostra a importância do envolvimento dos líderes da companhia quanto ao seu comprometimento em relação ao sistema de gestão de SSO, assumindo a responsabilidade pela prevenção de lesões e problemas de saúde relacionados ao trabalho, bem como pelo fornecimento de locais de trabalho e atividades seguras e saudáveis.
  • Consulta e participação de trabalhadores: a norma enfatiza a importância da participação dos trabalhadores em todos os níveis e funções aplicáveis, durante o desenvolvimento, planejamento, implementação, avaliação de desempenho e ações de melhoria do sistema de gestão de SSO. Esta é uma forma também de assegurar que os colaboradores participem da melhoria contínua da empresa com foco em saúde e bem-estar do trabalhador.
  • Riscos e Oportunidades: Além do levantamento de perigos e riscos relacionados às atividades exercidas na empresa, a norma exige uma avaliação dos riscos e oportunidades que a organização possui, de forma que seja estabelecida uma sistemática a ser utilizada com frequência, a fim de manter a melhoria contínua da empresa.
  • Conscientização: No item 7.3 Conscientização, a norma traz a importância da conscientização dos trabalhadores quanto às suas contribuições para a eficácia do SGSSO, implicações e potenciais consequências caso não estejam conforme aos requisitos da ISO 45001, conscientização sobre os incidentes, perigos, riscos e também à visualização de ações inseguras. Este é um item que deixa mais clara a informação da OHSAS 18001 em seu item 4.2.2 “Competência, Treinamento e Conscientização”.
  • Controle de Documentos: Conforme a atualização da estrutura das ISO’s de Sistemas de Gestão, este termo “Controle de Documentos” passa a ser chamado de “Controle da Informação documentada”, assim como o termo “registro” também foi substituído por “informação documentada retida”.

O QUE FAZER PARA SE ADEQUAR À MUDANÇA?

Pela minha experiência na Templum Consultoria, durante o acompanhamento desta transição nas empresas, identifiquei alguns tópicos que são essenciais para que a mudança ocorra de maneira consistente e eficiente:

  • Compreensão: um bom entendimento da norma será fundamental para esta transição, com atenção às mudanças principais, avaliando as adequações que serão necessárias. Para isto, é importante o acompanhamento de consultores devidamente capacitados que irão analisar criticamente todos os pontos necessários!
  • Planejamento: definir um calendário para o início da transição, os passos necessários e um bom cronograma de implantação e auditoria serão fundamentais.
  • Comunicação: o envolvimento de todos da organização será um ponto importante. Quanto maior a conscientização dos benefícios da implantação do SGSSO, mais fácil será para se criar uma cultura de segurança no ambiente de trabalho.
  • Treinamento e capacitação: a Alta Liderança da organização, bem como seus colaboradores, deverão passar por treinamentos referentes ao Sistema de Gestão da Saúde e Segurança Ocupacional para que estejam preparados da melhor forma a realizarem uma implantação de sucesso!

IMPORTANTE!

Se sua empresa possui a certificação OHSAS 18001 (Occupational Health and Safety Assessment Series) ela deverá migrar para a ISO 45001, pois a OHSAS será descontinuada. As empresas terão o prazo de 3 anos a partir da data de sua publicação (12 de Março de 2018) para realizar esta transição. Caso sua empresa não possua certificação ainda, poderá iniciar diretamente pela ISO 45001:2018.

Precisa de maiores esclarecimentos? Nós podemos te ajudar, entre em contato!

Autor

Comentários

Posts Relacionados

Imagem do logo da ISO 9001:2015 com o título do artigo: Orientações para se certificar na ISO 9001:2015 - Definindo papéis e responsabilidades.
← Post mais recente
Orientações para se certificar na ISO 9001:2015 - Definindo pap...