Melhoria contínua na porrada

imagem do Jeison, Monise e Marquinho gravando o qualicast.

As redes sociais são um terreno de mentiras e conversas para boi dormir. Todo mundo é feliz, bem sucedido e sábio. Isso sempre me irritou.

Quando aceitei usar as redes sociais fiz um acordo com meu time, e comigo mesmo, que é: não “contribuir com esse jogo de faz de conta”, inclusive porque isso gera outro problema social, mas isso é uma promessa pra outro artigo. 🔔

Toda postagem que vou fazer eu faço a seguinte pergunta: quem acessar a isso, depois de ler, ouvir ou ver, consegue melhorar em algo? Aprende algo? Desperta para algo? Se a resposta for “sim” eu faço, eu posto. Caso a resposta seja for “não”, eu falo para o meu ego: “Fica na sua aí”, e não envio. 

Agora que eu comando um podcast (há mais de 3 anos) e estou gerando conteúdo para internet de maneira regular: vídeos, artigos, imagens, entre outros, sempre segundo minhas regras e do meu jeito, além dos elogios vêm as porradas, (por isso, melhoria contínua na porrada). E isso é bom.

A porrada

Quero falar de uma que levei de uma ouvinte do nosso podcast. Pouca gente bate no Qualicast, não sei bem porquê, sempre recebemos muitos elogios, mas críticas, são poucas.

Quero mostrar aqui de maneira escancarada a porrada que chegou por e-mail (via formulário do site).

Vamos analisar alguns trechos…

Quase desisti logo de cara, devido a abertura tumultuada…

Fazemos a coisa do jeito que eu sei fazer, tem que ter alegria, um pouco de confusão e a abertura é assim para quebrar o gelo mesmo. Muita gente elogia inclusive o jeito divertido que fazemos, mas a ouvinte não gostou. Esse foi mais um ponto da melhoria contínua na porrada.

E tem essa parte também: 

… na minha opinião seria interessante manter uma abertura mais centrada, inicialmente achei que estava ouvindo o programa pânico na TV, me desconcentrou e me irritou …

Essa doeu, poxa, pânico na TV, e mais, diz que irritamos ela, o contrário do que eu esperava fazer com o conteúdo que geramos. 

Confesso que quando terminei de ler o e-mail eu fiquei perplexo. Comecei a justificar pra mim mesmo como é difícil e dá trabalho fazer algo leve, que recebemos muitos elogios, que não ganhamos dinheiro com isso. Foi então eu respirei e parei me colocar no lugar da ouvinte.

Mudança de olhar e abertura

É natural saltar aos olhos as críticas que outros fazem ao que criamos com paixão. Quem não leva um “baque” ao receber um feedback ruim do que fez com amor?  Desde o início do ano, tenho treinado manter minha serenidade, e isso vem de antes da Pandemia!  Mais que isso assumi há alguns meses, que vou ser um agente de serenidade.

Quem me conhece, sabe que isso soa como piada. Eu sou maluco, agitado e adoro confusão. Mas tem me feito muito bem, e tem me ajudado a treinar meu olhar à ver as coisas com abertura. Li novamente o e-mail, realmente ela fez críticas severas, mas de modo geral ela estava elogiando.

Dizendo que “Apesar de…” o conteúdo valeu a pena!

Abertura! É preciso treinar o olhar para isso, manter a serenidade e manter a abertura ajuda muito a identificar pontos de melhoria.

A resposta

Claro que eu respondi o e-mail:

Veja que a resposta saiu leve, porque eu tive abertura para acolher as críticas e encontrar pontos que fazem sentido. Fiz uma reflexão sincera, e pensei que muitos devem não gostar desse início divertido, e ela se deu ao trabalho de escrever para nós.

No e-mail coloquei o seguinte:

Como todos sabemos, sal demais, estraga o prato. Por isso, vou lembrar desse seu comentário viu?

O fato é que adoro fazer o que fazemos, por isso me empolgo aqui, mas você está certa, temos que manter a moderação.

Obrigado por escrever, vou manter a atenção para não errar no sal e parabéns pela persistência!!!

Agradeci a sinceridade de coração. E não menti, durante as próximas gravações, sempre lembramos do comentário, e ajustamos a introdução do podcast, sempre falamos do tema logo na largada. 

A melhoria contínua

Nós mudamos. Comecei a me atentar para o tempo que levamos para falar do tema. Já cortei algumas brincadeiras “internas demais” que poucos entendem, poxa, foi um senhor feedback. Isso faz parte da “melhoria contínua na porrada”.

Como falei na minha resposta, faltou eu “dosar o sal”. O humor é o tempero do nosso podcast, só que tempero demais, pode sim, estragar o prato. Por isso, equilíbrio no sal é importante. 

Adorei ter contato com essa ouvinte, veja que no fim do e-mail mantive minha posição e vou continuar usando o humor, acredito que torna o podcast leve, mas com atenção no equilíbrio.

Agora, piadas vão ter! rs… não consigo evitar!
E sabe, recebemos elogios falando disso então, vou trabalhar um bom equilíbrio! 😊

Esse inclusive foi o grande aprendizado, o equilíbrio que precisa ser mantido.

Mas precisa de porrada?

Vamos olhar por outro ponto essa pergunta: quem é o cliente na situação?
Ela é a “cliente” do meu conteúdo, e ela não gostou.  Já parou para pensar quantas pessoas simplesmente não “desistiram” de ouvir a gente? Ela se deu ao trabalho de escrever. Ela foi dura nas palavras, mas quem deve ter a maturidade de “compreender” isso, é quem está entregando, ou seja, nós. 

Por isso, ela pode ter escrito no calor da emoção, ou nem quis colocar peso nas palavras, eu não sei, e na verdade nem importa, isso também está ligado a melhoria contínua na porrada.

Claro, vale uma ressalva, se toda relação for na base da porrada, essa relação não vai durar muito. Isso serve pra qualquer relação da vida: casamento, clientes-fornecedor, amizades. Uma relação tem como base o cultivo e cuidado. 

Mas de vez em quando, alguém acaba sendo mais ríspido com o outro. Acontece! Mas abertura, gentileza e serenidade ajudam a transformar isso. Traz a relação para algo saudável novamente.

Como sou auditor, tenho evidências, olha a tréplica dela para minha resposta. 

O que a vida vai te entregar nem sempre é uma escolha sua. Mas o que você vai fazer com o que recebeu, isso sim, pode mudar o final de qualquer história.

Querida ouvinte, muito obrigado! Pode continuar escrevendo para a gente! ❤ 

Bônus: Redes sociais

Comecei falando de redes sociais, vou terminar falando delas, quero apresentar as minhas, nunca fiz isso.

Linked-in: Conteúdo mais sério, respondo mensagens privadas, mas com algum delay.

Youtube: todos os vídeos que fazemos falando de qualidade chegam sempre lá primeiro (ou junto) com as outras redes, vale a pena seguir. Além de alguns Webinars que só saem lá.

Instagram: Conteúdo mais espontâneo que faço. Mesmo sendo bem produzido, aqui é onde falo palavrão (assista as lives), e coloco muito do que penso que pode ajudar a buscar a qualidade de verdade. É onde mais interajo, se me escrever aqui eu vou responder. Se quiser ver a versão mais heavy metal, segue aqui!

E-mail: Mando mensagem com semana com conteúdo sobre Qualidade, Excelência, liderança gestão e propósito, (só você se inscrever nessa lista) e retorno pessoalmente todos os e-mails que me respondem.

CONVITE: chegamos no mês de agosto com 12 mil ouvintes do qualicast! Esse é o nosso record de 2020, e para comemorar, quem quiser poderá acompanhar a gravação de um QUALICAST AO VIVO! Mais que acompanhar, participar! Se você quiser, você vai poder mandar perguntas que vamos responder “ao vivo” no podcast!

Então, anota aí: amanhã (02/09) às 15h teremos uma transmissão ao vivo do QUALICAST com o tema FESTQUALI! Você poderá assistir pelo nosso canal no youtube e pelo meu instagram!

Nos vemos lá?

whatsapp

Receba as melhores notícias do dia por WhatsApp.

Clique aqui e confira nossos grupos!