Blog da Qualidade

5 motivos para gerenciar as competências da sua empresa

Receba Nossa News

Os conteúdos mais legais sobre qualidade, semanalmente em seu e-mail

    Todos os dados inseridos aqui, estão resguardados pela Política de Privacidade da ForLogic, totalmente adequada a LGPD e ISO 27001 (Segurança da Informação).

    Davidson Ramos

    Davidson Ramos

    Website | + posts

    Auditor Líder ISO 9001:2015 e autor de centenas de artigos sobre Gestão da Qualidade, sempre acreditei que as pessoas têm o poder de mudar o mundo a sua volta, desde que estejam verdadeiramente engajadas nisso. Por isso me dedico a ajudar as pessoas a criar laços verdadeiros com seu trabalho, porque pessoas engajadas mudam o mundo!

    Já falei bastante aqui no blog sobre a Matriz de Competências, sobre as características da ferramenta e sobre como montá-la. Hoje quero falar sobre a Gestão por Competências em si, e sobre o quanto isso é importante para o crescimento das empresas.

    Afinal, o importante não é qual ferramenta você vai utilizar, mas sim que essa ferramenta garanta que as competências estejam adequadas aos objetivos que se quer alcançar. As competências vão determinar o que sua equipe consegue ou não executar e o que ela precisa aprender para por aquele projeto em prática ou executar determinado projeto. Por isso, hoje, quero falar sobre 5 motivos pelos quais eu acredito que vale a pena gerenciar as competências da sua empresa.

    1 – Recrute com mais precisão

    Ter um quadro claro das habilidades necessárias para o funcionamento dos processos da sua empresa facilita a contratação de profissionais qualificados, uma vez que é possível buscar nos candidatos as competências específicas de cada função. Com uma lista bem definida de habilidades, você pode direcionar melhor todo o processo seletivo, desde os canais de divulgação até o momento da entrevista.

    Pode não ser adequado, por exemplo, divulgar uma vaga para desenvolvedor em um jornal impresso, haja vista que esse tipo de profissional geralmente é muito conectado. Além disso, durante a entrevista, as dinâmicas de grupo ou testes, você pode preencher o perfil dos candidatos com as competências que percebeu neles, sempre se baseando nas habilidades que o mapeamento definiu como importantes para a execução das tarefas. Isso direciona melhor o processo de contratação e ajudar a garantir que o profissional mais adequado seja contratado!

    2 – Forneça treinamentos mais direcionados

    Se as competências da sua empresa estiverem bem esclarecidas, você poderá identificar quais habilidades estão em maior defasagem em cada setor e atuar para reduzir esse gap. Também poderá direcionar melhor os treinamentos a competências que precisam ser adquiridas pelos colaboradores e que contribuam para a organização.

    Por exemplo, se existem muitos projetos, ações ou tarefas em atraso na sua empresa, é possível atuar mais focado, direcionando o treinamento para resolver esse problema em específico. Você pode, por exemplo, disponibilizar cursos de Gestão de Projetos, Gestão de Tempo ou voltados às atividades, o que ajudará seus colaboradores a adquirirem competências que vão agilizar os projetos, ações ou tarefas em atraso.

    3 – Construa de times mais coesos

    Imagine uma empresa com 1001 colaboradores, e você tendo que montar uma equipe de 10 pessoas para planejar e executar um plano de ação. Se não houver um processo de gestão de competências bem organizado, será muito complexo encontrar as pessoas certas e, pior que isso, a chance de o plano não dar certo é muito maior.

    Agora, se você tiver um panorama geral das competências de cada membro da sua empresa, poderá escolher melhor quem está apto para desenvolver aquele projeto engavetado e formar times em que um membro complemente as deficiências do outro. Isso ajudará a formar equipes mais equilibradas, que entregam mais e, por consequência, alcançam resultados maiores.

    4 – Estimule o aperfeiçoamento pessoal

    Seu processo de gestão de competências tem de deixar claro para os colaboradores quais competências eles precisam para crescer na empresa. Quando isso não ocorre, o colaborador não sabe que especialidades vão melhorar suas entregas ou vão contribuir para sua trajetória dentro da organização.

    Entretanto, se seus colaboradores souberem mais precisamente o que se espera deles, ou seja, quais competências são necessárias para melhorar os resultados da empresa, é mais provável que busquem cursos ou instruções de como fazer isso. Isso é um fator geral: o primeiro passo para qualquer ação é a consciência de que algo precisa ser feito. No nosso caso, o primeiro passo para que o colaborador busque aperfeiçoamento é a consciência de que determinada competência é necessária para sua empresa, e para ele.

    Basta ter as competências mapeadas?

    Cabe destacar que, nesse requisito, não basta criar um processo para a gestão das competências, é preciso que ele seja bem executado e, mais que isso, é vital que todos os colaboradores sejam realmente envolvidos nele. Puxando um pouco de ISO 9001:2015, é muito importante que a conscientização e a comunicação estejam intimamente atreladas a esse processo, pois só assim ele se tornará um fator cultural da sua empresa e, assim, estimulará o aperfeiçoamento dos seus colaboradores.

    5 – Atenda à ISO 9001:2015

    Se até aqui você não se convenceu de que é importante gerenciar as competências da sua empresa, talvez a ISO 9001:2015 te convença! No item 7.2 Competência, a norma exige que:

    • as competências necessárias para execução dos processos sejam determinadas;
    • que se assegurem que as pessoas sejam competentes para o trabalho;
    • que os gaps de competências sejam resolvidos;
    • e que existam registros de que tudo isso foi feito.

    Essas determinações existem porque a norma está preocupada com a execução dos processos, preocupada em conscientizar as empresas sobre a importância de torná-los mais ágeis e eficientes. É preciso que haja um conjunto de fatores para que isso ocorra, as pessoas são o principal deles, pois são elas que executam os processos. Como é possível ter um processo competente se as pessoas que realizam as atividades dele não são competentes para isso? Na minha opinião, não é possível.

    Lembre-se: o todo é a soma das partes

    Na maioria das vezes, o gerenciamento das competências até ocorre, mas de forma mais intrínseca e pessoal. Não há um processo estabelecido para fazer com que as competências sejam mapeadas e para refletir sobre elas. Isso torna mais difícil efetuar as contratações e montar times mais eficazes.

    Entretanto, as competências são a chave para que você e sua equipe alcancem resultados cada vez maiores. Sua organização é a soma de tudo o que os seus colaboradores são, quanto mais alto o nível deles, mais alto o será nível da sua empresa. E gerenciar as competências é uma das maneiras de ter um time de profissionais incríveis!

    Leia mais sobre Gestão de Competências:

    #01 Qualidade, Pessoas, Competências: onde isso nos leva?

    #02 Semana da Qualidade: o que Deming NÃO falou sobre competências?

    #03 5 motivos para gerenciar as competências da sua empresa

    #04 Como comprovar competências na ISO 9001:2015

    #05 O que é Matriz de Competências

    #06 Como montar uma Matriz de Competências que facilite a criação de times mais fortes (Parte 1)

    #07 Como montar uma Matriz de Competências que facilite a criação de times mais fortes (Parte 2)

    Sobre o autor (a)

    4 comentários em “5 motivos para gerenciar as competências da sua empresa”

    1. Pingback: Qual é o impacto de tratar Metrologia e Qualidade de maneira separada? - Blog da Qualidade

    2. Pingback: Você não sabe fazer indicadores! - Blog da Qualidade

    3. Pingback: A Qualidade e a indústria 4.0 - Blog da Qualidade

    4. Pingback: Como montar uma Matriz de Competências que facilite a criação de times mais fortes (Parte 2) - Blog da Qualidade

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Blog da Qualidade

    Artigos relacionados

    WEBINAR GRATUITO

    Colocando a criatividade em prática no planejamento estratégico

    Dias
    Horas
    Minutos