Gestão de processos

Mais Qualidade por um país mais Produtivo!

brasil produtivo qualidade
Imprimir artigo

No dia 17 de Abril de 2014, a Exame publicou um artigo sobre a reportagem da The Economist, onde o principal tema foi produtividade brasileira. O título foi muito provocativo, quase uma ênfase de que o Brasil está deitado eternamente em berço esplêndido: “A Soneca de 50 anos”. De acordo com a revista britânica, nossa produtividade está menor do que era em 1960, que foi responsável por 40% do crescimento do PIB do Brasil entre 1990 e 2012, considerando os 91% na China, 67% na Índia, segundo a consultoria da McKinsey.

Apesar das grandes provocações gringas, a revista ainda menciona as verdadeiras razões dessa produtividade lenta, que não tem nada a ver com preguiça, e sim com os desafios que enfrentamos no Brasil há muito tempo, como falta de infraestruturamá qualidade da educação gestão ineficiente nas empresas.

Deixando o assunto política para ser discutido mais além, me chamou muito atenção esse item de “gestão ineficiente nas empresas”. Sabemos que a administração é um problema sério do Brasil, principalmente relacionado a política. Mas quando no artigo a The Economist diz quando ao entrar no Brasil você começa já perder tempo, que aqui há excesso de filas, engarrafamentos, prazos não cumpridos, atrasos absurdos, e ainda mais! Citou os aparelhos e tecnologias que são tributadas absurdamente, sendo muitos destes aparelhos e sistemas que podem ajudar melhorar a produtividade. Trouxe também como grande vilão da eficiência do trabalho a falta de gestão de processos e resultados.

Apesar dos números do investimento estatal brasileiro serem bem menores do que dos países produtivos, e que nossa natureza é sempre culpar o governo, creio que não é bem por aí as coisas, nós também temos culpa. Está muito claro pra mim que o Brasil precisa cada vez mais de Gestão da Qualidade, fator que já não é mais diferencial, não é opcional, é uma condição! Precisamos de mais disseminadores das práticas da Qualidade, e nem digo de obter uma certificação ISO, mas de ter processos eficientes, fluxos pertinentes, pessoas competentes para realizar suas atividades, equipes integradas e comprometidas com prazos e resolução de problemas.

Gestão da Qualidade é uma solução para inúmeros problemas das empresas, inclusive como fator de melhoria da performance financeira, mas ao ler esse artigo da The Economist sobre o meu país e ter sentido (muita) raiva, vejo que a cada empresa que reconhece importância da gestão da qualidade e da qualidade da gestão como um fator que gera excelência e resultados, participa de um plano maior, de uma melhoria contínua que abrange todo um cenário econômico (mesmo que sem saber).

E mais! O Brasil precisa cada vez mais de softwares como o Qualiex, que não se limita a grandes empresas nem no item valor e muito menos qualidade, mas que está acessível às micro, pequenas e médias com a mesma eficiência das melhores ferramentas de gestão. As empresas precisam ter mais significado social, tem que ajudar pessoas de fato, não só vender um produto, mas criar relacionamentos mais fortes, de parcerias verdadeiras que possuam de fato algum valor. Isso me faz lembrar do tema da Semana da Qualidade do ano passado: colaboração. Chega de tratar a qualidade como um documento para ser usado pelo marketing, ele tem que fazer sentido!

É claro que o problema do Brasil é muito mais complexo do que se imagina, e minha ideia não é desenhar um patriotismo surreal muito menos jogar essa responsabilidade nas costas das empresas privadas, mas quero dizer que mesmo que não seja possível mudar o Brasil todo, a SUA organização você pode mudar ao utilizar as práticas da Gestão da Qualidade, você pode tornar sua empresa mais produtiva e ser mais um disseminador da Qualidade por um país mais produtivo. Já pensou nisso?

Autor

Comentários

Posts Relacionados

← Post mais recente
Por que ocorrem falhas no sistema