Gestão de projetos

Método do Caminho Crítico (CPM/PERT)

Pessoas gerenciando projetos
Imprimir artigo

O Método do Caminho Crítico (em inglês Critical Path Method, CPM) surgiu, inicialmente, para gerenciar projetos mais extensos e complexos, como a fabricação de produtos que necessitam de grande infraestrutura e geralmente são construídos no sistema de layout fixo (navios e aviões por exemplo). Porém, a técnica é uma metodologia muito versátil, que pode tranquilamente ser utilizada para gerenciar qualquer tipo de projeto e até mesmo linhas de produção.

O método é utilizado em conjunto com o diagrama de redes PERT (do inglês: Program Evaluation and Review Technique), organizando em conjunto as tarefas e etapas do projeto para visualizar melhor as atividades e encontrar o tempo total de duração do projeto ou atividade.

Com o CPM PERT, é possível determinar melhor quanto tempo um projeto levará para ser finalizado e compreender melhor quais atividades precisam ser feitas, bem como em que ordem elas terão de ser executadas. O método também auxilia a direcionar melhor os recursos que serão utilizados.

Como funciona?

O método procura representar a execução do projeto de forma gráfica, utilizando o diagrama de redes mostrar a ligação e dependência das tarefas. Para fazer isso, a metodologia utiliza os seguintes símbolos:

Setas

As setas representam as tarefas que precisam ser executadas durante o projeto. Geralmente são nomeadas por letras. Ainda nas setas, é preciso colocar o tempo que as tarefas levarão para ser executadas. No exemplo abaixo, a tarefa A levará 5 dias para ser executada.

Exemplo de seta usada no Método do Caminho Crítico.

Setas pontilhadas (atividade imaginária ou fantasma)

 

As setas pontilhadas são utilizadas para indicar o que o método chama da atividade imaginária ou fantasma. Essa atividade na verdade não existe, não está presente no projeto, porém marca um ajuste de programação, mostrando que determinadas atividades tem dependência de outras atividades. Explicarei melhor isso mais a frente, quando mostrar um exemplo.

Exemplo de seta pontilhada usada no Método do Caminho Crítico.

Círculos

São chamados de “nós” e simbolizam a transição entre as tarefas, ou seja, o término de uma atividade e o início de outra. Aos círculos se ligam as setas, sejam normais ou as pontilhadas, podem ser o ponto de partida da seta ou o destino a que ela indica. Os nós são enumerados para facilitar a identificação dos momentos do projeto.

Exemplo de círculo usado no Método do Caminho Crítico.

O que é “Caminho Crítico?

No CPM, caminho é a ordem em que as tarefas são feitas, indicando uma sequência a ser seguida. Caminho Crítico é, então, a sequência que leva mais tempo para ser finalizada, indicando o tempo máximo que um projeto levará. Vejamos um exemplo de diagrama de projeto preenchido.

Exemplo de diagrama usado no Método do Caminho Crítico.

O gráfica representa um projeto com 6 tarefas a serem executadas (A, B, C, D, E e F) e deve ser interpretado da esquerda para a direita. Dessa forma, percebemos que a atividade A é a inicial, e as atividades B e C são as próximas a serem executadas. Do mesmo modo, para que as atividades B e C sejam realizadas, primeiramente é necessário realizar a atividade A.

Neste exemplo, temos 2 caminhos para chegar à conclusão do projeto:

O 1º seria executando as atividades A, B, D e F. Somando os tempos que cada tarefa leva para ser feita, teríamos um caminho com 16 dias de duração.

Exemplo de diagrama usado no Método do Caminho Crítico.

O 2º seria executando as atividades A, C, E e F. Somando os tempos que cada tarefa leva para ser feita, teríamos um caminho com 14 dias de duração.

Exemplo de diagrama usado no Método do Caminho Crítico.

Nesse caso, o Caminho Crítico para a execução do projeto seria ABDF, pois é o que leva mais termo para ser finalizado. Nessa metodologia, o Caminho Crítico é utilizado para estimar a duração do projeto, sendo o Tempo do Caminho Crítico Igual ao tempo de execução do projeto. No nosso exemplo, o tempo estimado para o término do projeto é, então, de 16 dias.

Atividade imaginária

Vamos alterar só um pouquinho o nosso exemplo anterior, analise este diagrama e tente encontrar o Caminho Crítico:

Exemplo de diagrama usado no Método do Caminho Crítico.

Agora, imaginemos que, para executar a tarefa E, nós precisamos que a tarefa B e a tarefa e a tarefa C estejam finalizadas. Nesse caso utilizamos uma seta pontilhada para identificar a dependência entre as tarefas. A seta pontilhada não é uma tarefa do projeto, somente indica que para que a tarefa E seja executada, precisamos que a B e a C sejam concluídas.

Sem a atividade imaginária (seta pontilhada), a tarefa E só precisaria da finalização da tarefa C para começar. Dessa forma, devido as atividades B e C terem tempos diferentes (3 dias para a tarefa B; e 2 dias para a C), a tarefa E não pode começar imediatamente após o término da C, pois precisaria esperar 1 dia para que a atividade B fique pronta.

Folgas de atividades

As folgas são o tempo ocioso entre as atividades que estão fora do caminho crítico. Pegando como exemplo o diagrama do tópico anterior, vimos que por causa da dependência entre as atividades, após o término da atividade C, é preciso esperar 1 dia para que a atividade B fique pronta e, só então, realizar a atividade E. Esse tempo de 1 dia “ocioso” entre as tarefas é uma folga no projeto.

É interessante calcular as folgas pois, elas indicam a prioridade e importância das atividades. Por exemplo, caso a atividade B atrase 1 dia, ainda sim o projeto estará no prazo, pois ela tinha uma folga de 1 dia para a execução da tarefa E. Isso não ocorre com a tarefa C, caso ela atrase vai atrasar todo o projeto pois não há folga na sua execução.

Porque usar o Método do Caminho Crítico

Essa técnica auxilia muito no planejamento de projetos mais extensos, que dependem de prazos muito específicos e não podem sofrer atrasos. Ela também ajuda a compreender melhor em quais atividades ou tarefes é preciso dar mais foco, e isso reduz significativamente a chance de um projeto, processo ou produção parar.

Fazendo uma analogia com a produção de bens, com Método do Caminho Crítico você encontra os gargalos do seu projeto, podendo focar seus esforços para mantê-los em dia sem esquecer de outros pontos do projeto.

Referências

MARTINS, PETRÔNIO G.; LAUGENI. Fernando P. Administração da Produção.São Paulo : Saraiva, 5ª Ed., 2005.

 

DAVIS, M.M. Fundamentos da Administração da Produção. Porto Alegre: Bookman, 3ª Ed., 2001.

Artigo revisado em 27/07/2017

Autor

Comentários

Posts Relacionados

← Post mais recente
A importância de seguir os procedimentos (segundo o planeta dos ...