Ferramentas da qualidade

Como o Diagrama de Ishikawa me ajuda?

Imprimir artigo

Não tenho tempo para fazer exercícios físicos, não tenho tempo para escrever um artigo para o blog da empresa que trabalho (ou para o Blog da Qualidade), não tenho tempo para preparar uma refeição mais saudável. Enfim, quem nunca ouviu (ou falou) uma dessas frases? A coisa mais comum do mundo é não ter tempo! É assustador quando alguém fala “eu tenho tempo”, no mínimo será chamado de “ocioso”, para não dizer outras coisas.

“Tento viver um dia de cada vez, mas às vezes vários dias me atacam de uma só vez.” (Ashley Brilliant)

Apesar do texto sugerir um assunto relacionado a procrastinação, gestão do tempo, e uma série de coisas, não é bem disso que vou falar. Eu tenho me incomodado muito com a minha “falta de tempo”, principalmente porque me faz atrasar entregas e me sentir desorganizada. Eu fico tão irritada quanto o meu chefe quando isso se arrasta nos meus indicadores ou relatórios. Estou tratando minha falta de tempo como uma não conformidade e usei o Diagrama de Ishikawa para entender o porquê eu não tenho tempo. Aí está o resultado:

diagrama-de-ishikawa

Vocês já devem conhecer o Diagrama de Ishikawa, né? Na cabeça do peixe fica o efeito (ou problema) e nas espinhas ficam as causas que fazem com que eu não tenha tempo.

Agora que tenho um diagrama de Ishikawa não terei mais problemas com tempo, meu chefe ficará feliz e conseguirei abraçar mais projetos, certo?

Sim e não.

SIM. O Diagrama de Ishikawa me ajuda a categorizar de forma organizada todas as possíveis causas do meu problema para que assim eu identifique quais os planos de ação devo tomar a partir de então. A grande função desta ferramenta é quebrar aquele problema impossível em causas mais simples e possíveis de serem tratadas.

NÃO. De certa forma eu não sei especificadamente qual é minha causa raiz. Poderia ser qualquer uma dessas, não? Apesar das causas serem muitas, a causa raiz é sempre uma só, o que me sugere estudar com mais critério.

Mas veja bem, não é uma lista exaustiva de causas, eu poderia ter me perdido na verdadeira razão e nisso o Diagrama de Ishikawa me ajuda muito. Quando você vai ao mercado, por exemplo, e faz uma lista antes categorizando por uma refeição (almoço de domingo), classe de produtos (limpeza, bebidas, congelados), enfim, você fica menos propenso a esquecer algo e consegue ter um resultado mais produtivo. Afinal, não é muito mais fácil chegar a um lugar desconhecido fazendo um mapa antes?

Bom, já tenho uma lista de hipóteses, agora vou testá-la. Se a causa real não estiver na lista terei que revê-la, e assim sucessivamente até resolver o problema.

Diagramas de espinha de peixe fornecem uma estrutura, uma organização, mas não necessariamente uma resposta e é aqui que o método PDCA faz todo sentido. Não adianta eu utilizar uma ferramenta da qualidade fabulosa se eu não estiver apoiado no ciclo de melhoria contínua: PDCA! E outras evoluções que poderei falar em outras ocasiões, mas é no PDCA que eu vou olhar criteriosamente o que deu certo e o que não deu.

Se eu encontrei a causa raiz e resolvi meu problema de tempo? É… caminhando em direção à excelência, mas isso eu vou contar com mais detalhes em uma outra ocasião, até lá!

Disponibilizei o modelo do Diagrama de Ishikawa que usei nesse post. Faça o download clicando no botão abaixo:

 

Baixar modelo do Diagrama de Ishikawa

 

Dever de casa

  • Escolha uma situação problema que tem te incomodado nas últimas semanas.
  • Estruture-a em um diagrama de Ishikawa
  • Me conte o que aconteceu: monise@forlogic.net

 

James Lawther usou para entender o porquê ele está sempre atrasado.

Autor

Comentários

Posts Relacionados

← Post mais recente
O Gerenciamento de Escopo: Estrutura Analítica de Projetos (EAP)