Ferramentas da qualidade

Diagrama de Ishikawa

Sequência de dominós caindo, representando o esquema de causa e efeito presentes no Diagrama de Ishikawa.
Imprimir artigo

O Diagrama de Ishikawa, também conhecido como Diagrama de Espinha de Peixe ou Diagrama de Causa e Efeito, é uma ferramenta da qualidade que ajuda a levantar as causas-raízes de um problema, analisando todos os fatores que envolvem a execução do processo.

Criado na década de 60, por Kaoru Ishikawa, o diagrama leva em conta todos os aspectos que podem ter levado à ocorrência do problema, dessa forma, ao utilizá-lo, as chances de que algum detalhe seja esquecido diminuem consideravelmente.

Na metodologia, todo problema tem causas específicas, e essas causas devem ser analisadas e testadas, uma a uma, a fim de comprovar qual delas está realmente causando o efeito (problema) que se quer eliminar. Eliminado as causas, elimina-se o problema.

O Diagrama de Ishikawa é uma ferramenta prática, muito utilizada para realizar a análise das causas-raízes em avaliações de não conformidades, como apresentado no exemplo abaixo.

Exemplo de utilização

O Diagrama de Ishikawa apresenta a relação existente entre o resultado indesejado ou não conforme de um processo (efeito) e os diversos fatores (causas) que podem contribuir para que esse resultado tenha ocorrido. Sua relação com a imagem de uma espinha de peixe se dá devido ao fato que podemos considerar suas espinhas as causas dos problemas levantados, que contribuirão para a descoberta de seu efeito, além do formato gráfico que muito se assemelha ao desenho de um esqueleto de peixe.

Para que é utilizado?

É possível aplicar o Diagrama de Ishikawa a diversos contextos e de diferentes maneiras, entre elas, destaca-se a utilização:

  • para visualizar as causas principais e secundárias de um problema (efeito).
  • para ampliar a visão das possíveis causas de um problema, enxergando-o de maneira mais sistêmica e abrangente;
  • para identificar soluções, levantando os recursos disponíveis pela empresa;
  • para gerar melhorias nos processos.

Como fazer um Diagrama de Ishikawa?

Para realizar a análise de causas utilizando o Diagrama de Ishikawa, basta seguir alguns passos. Veja só:

  • defina o problema (efeito) a ser analisado;
  • desenhe uma seta horizontal apontando para a direita e escreva o problema no interior de um retângulo localizado na ponta da seta;
  • realize um brainstorming para levantar as possíveis causas que possam estar gerando o problema. Para isso, procure responder a seguinte pergunta: “Por que isto está acontecendo?”;
  • divida as causas identificadas em categorias, por exemplo: máquina, mão de obra, método e materiais ou da forma que for mais coerente com o problema analisado e o contexto da sua empresa;
  • logo após, defina as sub-causas, ou seja, os fatores que levaram aquela causa a acontecer.

Cabe ressaltar que, originalmente, são propostas 6 categorias pelo método, que são: Máquina, Materiais, Mão de obra, Meio-ambiente, Método e Medidas (os 6Ms). Entretanto nem todos os processos ou problemas utilizam-se de todos esses fatores, assim é preciso avaliar quais deles estão presentes ou são importantes para a execução.

É possível que você só avalie 4 deles, como no exemplo utilizado anteriormente no artigo. Não há nenhum problema com isso, desde que a análise seja feita com base em fatos e dados e nenhum aspecto importante seja deixado de lado.

Utilize o Diagrama de Ishikawa na Tratativa de Não conformidades

No Qualiex, nosso software para Gestão da Qualidade, incorporamos o Diagrama de Causa e Efeito ao fluxo de tratativa de não conformidades. Fizemos isso porque a técnica é uma das formas mais eficazes de analisar as causas raízes, ajudando os profissionais a se aprofundar em todos os aspectos do processo.

Além de eliminar planilhas, nosso software também ajuda a padronizar e centralizar o cadastro de informações, aumentando a rastreabilidade dos dados e facilitando a consulta quando necessário. Acesse nosso site e agende uma apresentação personalizada, um de nossos Auditores Líderes ISO 9001:2015 irá te mostrar como podemos ajudar a evoluir seu processo de tratativa de NCs.

 

REFERÊNCIA

PEINADO, Jurandir; GRAEML, Alexandre Reis. Administração da produção: operações industriais e de serviços. Curitiba: UnicenP, 2007.

Artigo revisado em 27/07/2017

Autores

Comentários

Posts Relacionados

ferramentas-da-qualidade
← Post mais recente
As sete ferramentas da qualidade