Liderança em tempos difíceis: você é o capitão do navio, mas que tipo de capitão?

imagem de um navio a bordo, com o chapéu do capitão. Essa imagem simboliza o artigo do Jeison sobre liderança em tempos difíceis.

Diz a  tradição que, na navegação, o capitão afunda com o navio. Como será que anda os capitães que temos hoje? No artigo de hoje, eu vou falar sobre liderança em tempos difíceis.

No seu artigo, Yuval Harari (o cara que escreveu Sapiens, 21 Lições para o século 21 e Homo Deus), fala da ausência de líderes nos dias de hoje. É preciso se atentar que ele fala de falta de líderes, não de lideranças. A liderança é um cargo, uma ocupação. Líder, é um estado, uma forma de agir.

Isso tem tudo a ver com gestão, principalmente dos negócios. Esse é um blog que sempre aborda, qualidade, excelência e gestão, por isso vale a discussão da liderança. Penso que é o primeiro texto que dirijo para empreendedores, CEOs, Líderes de negócio e equipes com tanta ênfase.

Você é o capitão, não é?

Logo que começamos a enfrentar a crise, argumentei que não iríamos abandonar o cliente. Já faz tempo que exercemos o papel de capitão falando de qualidade. Eu mesmo, fiz isso por tanto tempo, e agora, que o “mar está bravo” nós não vamos deixar o cliente à mercê.

O mesmo vale para os colaboradores. Nós, líderes, temos que saber exercer a liderança em tempos difíceis, temos que manter a calma, a integridade, a serenidade e, com empatia, apoiá-los em um momento tenso, desconhecido e, para muitos, extremamente amedrontador.

Mas que tipo de capitão você é?

Pode ser um dos clássicos, que afunda com o barco. Entretanto, o sentido disso não é que você DEVE morrer,mas sim, a todo custo, você deve trabalhar para salvar a embarcação, e, principalmente, todos os passageiros e a tripulação. Só depois disso, sair. Você é o comandante, tudo é sua responsabilidade.

Você é o cara que está lá, organizando para que todos se saiam bem no seu trabalho, e que o menor número de vítimas seja registrado. O acidente já aconteceu, você está diminuindo o seu impacto.

Mas existem os “Schettino,” como vou chamar, para não usar o termo canalha. Pronto usei.

Quem é “Schettino”? Durante o naufrágio do Costa Concordia no Litoral da Itália, mais de 30 pessoas morreram, e o capitão, estava no barco muito antes de boa parte dos passageiros e tripulação. Vale a pena ouvir um trecho da conversa com o “capitão” com o chefe da capitania dos portos local. Ouça aqui

Acho que não é preciso dizer mais nada, apenas que bons líderes, são provados, durante momentos difíceis, não nos fáceis.

Mas você atua sozinho, capitão?

Claro que não, o navio precisa de toda a tripulação para operar, ser consertado, e também, em último caso, para ser evacuado se necessário.

Meu amigo Ricardo Jordão, diz que o time de vendas é a orquestra que fica tocando enquanto o Titanic afunda, mas não para de tocar. Achei lindo! O time da qualidade, os líderes do negócio a turma da gestão são diversos: marujos, mestres, contramestres e comandantes que continuam operando o navio, para que seja consertado e retome seu rumo, ou, se não tiver jeito, afunde o mais devagar possível para que todos se salvem.

Um tempo de integridade e qualidade

A qualidade tem tudo a ver com integridade. A integridade é uma virtude que carrega com ela uma coleção de valores muito importantes: verdade, consistência, coerência, honestidade, inteireza, sinceridade.

Veja bem: estabelecer um padrão, garantir uma entrega conforme os requisitos, registrar uma não conformidade, trabalhar nela e no fim do trabalho ver que pode ser melhorada de novo, apontar falhas e de processos e conhecimentos… para tudo isso precisa de muita integridade. É o trabalho para garantir a integridade da empresa e das pessoas. E tem que ser muito íntegro também para trazer evidências e percepções mesmo que isso vá ferir o ego de algumas pessoas.

Precisamos de um capitão de verdade nas empresas, não alguém que, quando vê maré ruim, prepara seu bote salva-vidas. Liderança em tempos difíceis é sobre isso!

É o que buscamos praticar aqui. É isso que, a minha equipe exigente, procura em mim todos os dias. Posso não ser o mais habilidoso, o navio pode ter muitas avarias, mas eu vou ficar nele até o fim. Vou colocar este navio de volta ao seu curso, se possível, trazendo comigo clientes, colaboradores e toda a parte da sociedade que eu conseguir alcançar.

E não pense que não temos medo, eu particularmente tenho muito, mas tenho esperança, e como dizemos aqui: temos o desejo maior que medo.

 

Leia a série completa:

#1 – Qual é o papel da Qualidade contra o Coronavírus (COVID-19)?

#2 – Como fazer gestão de crise, um exemplo prático da ForLogic #coronavírus

#3 – Coronavírus: Liderança em tempos de crise

#4 – Coronavírus: como fazer gestão de crise do zero?

#5 – Gestão de mudanças abruptas: o que fazer quando o imponderável acontece?

#6 – Análise crítica pela direção em momentos de crise (ou fora deles)

#7 – Liderança em tempos difíceis: você é o capitão do navio, mas que tipo de capitão?

Imagem do banner da nova página sobre gestão de riscos.

whatsapp

Receba as melhores notícias do dia por WhatsApp.

Clique aqui e confira nossos grupos!