Coronavírus: liderança em tempos de crise

imagem com homens no mesmo barco. Essa imagem representa o cenário atual que estamos vivendo, todos no mesmo barco, porém, o líder na frente. Essa imagem é utilizada no artigo sobre liderança em tempos de crise;

O coronavírus não é besteira, não está longe. Há situações muito críticas em algumas regiões do Brasil e isso é muito sério. Precisamos tomar ações encarando o momento pelo que ele é: uma crise! E como funciona a liderança em tempos de crise?

Nos textos anteriores, o Jeison compartilhou algumas medidas preventivas abordadas aqui na Forlogic. Com certeza, estamos disponibilizando todo conteúdo sobre o que estamos fazendo por aqui. Se você, como eu, está numa posição de liderança, deve ter percebido que essa responsabilidade, que já era grande, agora é maior. 

Quero deixar claro que não estou dizendo como se faz, estou compartilhando e trazendo para atenção alguns pontos que considero importantes nesse momento. E se você puder compartilhar também alguns pontos nos comentários desse texto, contribuirá comigo e com a comunidade que acompanha o Blog da Qualidade.

Resiliência e criatividade

É natural que neste momento nós estejamos concentrados no fluxo de informações e comunicação, além do atendimento às necessidades dos colaboradores, clientes e também da cadeia de suprimentos. Mas vejo que nossa atenção deve estar na resiliência dos processos, pessoas e do negócio.

Em tempos de crise, os negócios normais são suspensos, os modelos de trabalho usuais desmoronam. Nós precisamos manter a calma e preservar o valor das pessoas e da organização. Se for possível, devemos buscar maneiras de nos adaptar rapidamente ao novo cenário para alcançar objetivos de maneiras criativas e novas, com olhos bem abertos para o crescimento pós-crise.

Neste momento, Gestão de Crise pode significar NÃO entrar em pânico. Agir rápido, mas não precipitadamente. Ser muito flexível e pronto para mudar as decisões diariamente, conforme as mudanças do cenário. Há escolhas reais a fazer. Em alguns casos, responder perguntas como: devemos adaptar nossos serviços, ou devemos apenas fechar?

Dependendo das mudanças de contexto, o que foi válido ontem, pode não ser válido hoje. Por exemplo: colocar informativos de como lavar as mãos nas paredes da empresa, ou disponibilizar álcool em gel na organização não valem para uma empresa que adotou 100% de home office.

Por isso, a resiliência e a criatividade são fatores essenciais nesse momento. Trazer o time para essa consciência, jogando limpo, ajudará a criar mais conexão e proximidade com as pessoas para agirem como um time, de fato.

Temos que trabalhar para minimizar os impactos e fazer mudanças que possibilitem que nosso time, clientes e o negócio sobrevivam e cresçam.

Assertividade na comunicação

A comunicação é o braço direito do Comitê de Crise. Tanto para falar do que foi decidido quanto para compartilhar informações reais do cenário atual. Para fazer comunicação assertiva nesse período, você precisará entender os fatos e conhecer o seu público, antes de qualquer coisa.

É claro que isso serve para qualquer pessoa, mas como líder, essa responsabilidade é ainda maior. Dê o exemplo e atue quando ver isso sendo desrespeitado. Estou falando de fake news, correntes, memes, etc. Isso não contribui com o momento, e precisamos evitar para não gerar confusão e medo desnecessário. Portanto, se não tem certeza se a informação é real, não comunique!

Praticar empatia nesse momento é pensar se as informações vão contribuir ou gerar pânico no público alvo da comunicação. E quando essa for uma diretiva do Comitê de Crise, deixar claro, muito claro mesmo, os combinados

A liderança deve atuar nas ações que vieram da gestão de crise e apoiar a execução delas, para que isso seja vivido! Na Forlogic, tivemos a orientação de não sairmos de casa sem necessidade, nos cuidarmos e evitar grandes aglomerações, para assim nos protegermos e não sermos vetores de transmissão.

Vivi um caso que colocou isso a prova. Galera da empresa marcando um futebol “Já que está todo mundo de férias da faculdade”. Minha reação foi instantânea: “Não façam isso! Estamos nos esforçando para evitar aglomeração na Forlogic, mas não vai adiantar se essa for uma ação que cumprirmos apenas ‘na firma’”.

Precisamos ser guardiões das diretrizes e políticas, apoiar o time e, principalmente, na situação que estamos vivendo, trazer a atenção de volta ao que importa. Sem pânico ou agressividade, apenas sendo assertivos!

 

 

Diminuir a ansiedade assumindo o controle!

A princípio, estamos vivenciando muitas incertezas. Enquanto não sabemos bem o que fazer, estamos nos adaptando aos cuidados e rotinas diferentes, e a ansiedade tende a estar alta nesse momento. Assim que começarmos a nos adaptar, ela vai diminuir.

Enquanto isso, precisamos tomar muito cuidado com o sentimento de vitimização:Coisas ruins estão acontecendo e não há nada que eu possa fazer, vou apenas me proteger”. E assim, agindo pelo medo, as pessoas tomam ações mais individualistas como, por exemplo, estocar alimentação em excesso.

Aqui na Forlogic, adotamos home office para 100% da equipe. Eu estava tensa e preocupada, pensando em “Como vou conseguir contribuir com o cliente, com a equipe, com minha família… preciso me adaptar rápido, preciso ajudar as pessoas!

Entretanto, a preocupação não vai me impedir de contrair o vírus! E mais, ela não é nada eficaz para lidar com esses desafios. Talvez você também esteja preocupado com o seu time, sua família, sua empresa e seu emprego. 

Você pode se preocupar porque está levando isso a sério, mas não pode paralisar. Não pode entrar em pânico, pois mais pessoas precisam de nós.

Existem 3 coisas que estão no nosso controle agora: (1) nossos pensamentos, (2) sentimentos e (3) comportamentos. Podemos agir sobre eles e gerenciar o estresse de maneira produtiva! Isso significa seguir as instruções do governo e de bem-estar: 

  • lavar as mãos correta e regularmente;
  • evitar aglomerações;
  • alimentar-se bem;
  • manter-se ativo;
  • dormir bem;
  • meditar;
  • entre outras coisas que podem te ajudar a estar mais saudável e com uma boa saúde mental.

Já temos muitas informações sobre o que fazer e sobre como lidar com essa pandemia. Se a enxurrada de manchetes e postagens de redes sociais te deixarem muito ansioso, dê uma pausa. 

É importante manter-se informado verificando fontes confiáveis, como agências governamentais de saúde pública ou a OMS. Mas se percorrer constantemente seus feeds de mídia social te prejudica, evite-as. Eu sei, há muita informação falsa circulando, muita desinformação. Estabeleça limites de tempo e não olhe essas coisas antes de dormir. 

Você precisa se cuidar para continuar contribuindo com o seu melhor! Não podemos parar, é necessário estar em movimento.

P.s.: Estou abordando pessoas que, por algum motivo, estão muito preocupadas nesse momento. Se você estiver presenciando um caso extremo de ansiedade, procure um especialista! O pessoal do site a chave da questão está oferecendo ajuda psicológica gratuita para esse momento de crise, mas se isso não for o suficiente, não hesite em pedir ajuda profissional.

Em cenários diferentes, tomamos ações diferentes

É verdade, não planejamos essas mudanças com tempo, não pedimos a ajuda de um consultor, não guardamos dinheiro suficiente para isso, não fizemos cálculos complexos ou qualquer que seja a medida que você gostaria de tomar. Mas precisamos lidar com essas mudanças e torná-las o mais agradáveis e positivas possível para o trabalho. 

Haverão mudanças drásticas, eu acredito que algumas áreas e empresas viverão um momento caótico. Colocar a criatividade para trabalhar, usar de todas as competências existentes em você mesmo e nos colaboradores para encontrar novas soluções é o único caminho para, mais que sobreviver, crescer com essa crise.

Não vamos esquecer que toda crise tem uma característica importante: ela acaba! E nós trabalharemos para passar por isso com o mínimo de impactos possível para nosso time, nossos clientes e nosso negócio.

Precisamos ser resilientes, criativos, assertivos e protagonistas neste momento. Temos ameaças por todos os lados, mas também temos grandes oportunidades de aprender, melhorar e construir cenários que jamais pensamos antes.

Vamos juntos? Escreve aí nos comentários pontos que você considera importantes da liderança ter atenção neste momento. Contribua para que, tanto eu como a nossa comunidade, possamos desempenhar um bom papel de liderança neste tempo!

Leia a série completa:

#1 – Qual é o papel da Qualidade contra o Coronavírus (COVID-19)?

#2 – Como fazer gestão de crise, um exemplo prático da ForLogic #coronavírus

#3 – Coronavírus: Liderança em tempos de crise

#4 – Coronavírus: como fazer gestão de crise do zero?

#5 – Gestão de mudanças abruptas: o que fazer quando o imponderável acontece?

#6 – Análise crítica pela direção em momentos de crise (ou fora deles)

#7Liderança em tempos difíceis: você é o capitão do navio, mas que tipo de capitão?

Imagem do banner da nova página sobre gestão de riscos.

whatsapp

Receba as melhores notícias do dia por WhatsApp.

Clique aqui e confira nossos grupos!

Written by

Monise Carla Bueno

Auditora Líder ISO 9001:2015, ISO 22000:2018 e ISO 31000:2016. Redatora do Blog da Qualidade e Especialista de Comunicação no Qualiex! Eu ajudo profissionais a resolverem problemas de qualidade por meio de tecnologia e acredito que esse é o primeiro passo para uma vida de Excelência. Gosto de rock, desenho animado e vejo qualidade e excelência em tudo isso. Não me leve tão a sério no Twitter, mas se preferir, você também pode me encontrar no Facebook e Linkedin.