3 principais causas da falta de engajamento na qualidade

imagem de um colaborador engajado e um colaborador desengajado. Essa imagem simboliza o artigo sobre falta de engajamento na qualidade.

Diariamente tenho contato com clientes que nos relatam que um dos principais GAP’s da gestão da Qualidade é a falta de engajamento na qualidade por parte dos colaboradores e como é “sofrido” manter a engrenagem funcionando dentro do SGQ. 

Nesse artigo vou abordar esse assunto e trazer alguns insights que podem contribuir para a mudança desse cenário. 

Engajamento é o ato ou efeito de envolver- se ao serviço de uma ideia ou causa, portanto, engajar é a AÇÃO. Aqui no blog já tem um texto publicado sobre o que é engajamento . Então, como o próprio significado nos fala, o engajamento é o ato de se envolver em uma ideia ou causa. Mas porque na sua empresa é tão difícil manter colaboradores engajados?!

Motivos que destroem o engajamento da equipe

Vou descrever alguns motivos que podem estimular a falta de engajamento na qualidade por parte dos colaboradores:

1 – As pessoas não se sentem parte da engrenagem da organização 

Nas conversas com os nossos clientes, quase sempre a qualidade nos relata a falta de comprometimento com as ações que surgem da área da qualidade. Por exemplo: ações que surgem no tratamento das Nc’s, que quase sempre são entregues com atrasos, coletas dos indicadores que não são entregues dentro do prazo, revisões de documentos que são deixadas para o segundo plano, e muitas outras situações que conhecemos que poderíamos ficar descrevendo por horas. 

Isso acontece quando você não envolve as pessoas nas definições. Se você só fala com ele para entregar uma tarefa ou pendência, provavelmente elas te vêem como alguém apenas útil, no sentido de utilização. Envolver as pessoas nas construções, decisões e explicar os impactos daquela ação pedindo sua opinião, pode trazer mais significado e participação das pessoas.

Por isso, o colaborador precisa se sentir parte do processo, peça fundamental para a engrenagem trabalhar em harmonia com toda a organização gerando qualidade. 

2 – Cultura do medo 

Amanda, mas como assim medo?!” Isso mesmo, medo! Mas vou te explicar o porquê. 

Certa vez, em uma conversa com um cliente da área da saúde, ele disse que muitas vezes os colaboradores não registravam Nc’s por medo de “represália” do dono e/ou envolvido do processo, pois, infelizmente no local tinha a cultura que a NC era para o colaborador e não para o processo. 

E quando era registrado, o faziam de forma anônima e em uma urna espalhada pelo hospital. Imagina o retrabalho que era para a qualidade buscar urna por urna os registros das NC’s para as devidas tratativas?!

Neste contexto, o medo não ajuda. Quando as pessoas agem pelo medo, estão pensando em sobrevivência, não em contribuição, e com isso você perde muito do potencial da sua equipe. E se todos pudessem contribuir com suas ideias de melhoria e erros que encontram na operação? O quanto as organizações e as equipes ganhariam?

Não é algo fácil resolver, pois geralmente está enraizado na cultura. Mas infelizmente, o medo tem limitado muitas organizações.

3 – Falta de autonomia 

A falta de autonomia, pode ser um “ingrediente” a mais para a falta de engajamento. 

Delegar ações, tarefas e dar a possibilidade do colaborador participar do processo da Qualidade são essenciais para gerar responsabilidade e engajamento. 

Mas autonomia não é só entregar as ações, tem a ver principalmente com qualificação. A autonomia deve ser construída e leva tempo para acontecer. Por isso, é necessário ter um programa de educação da qualidade instituído. 

Seja por meio de mesas redondas, cumbucas ou outras atividades que ajude as pessoas a criarem conexões sobre como podemos ser protagonistas em relação à qualidade.

Não é ferramenta, é cultura!

Trouxe três principais “dores” que os responsáveis pela qualidade trazem diariamente para nós, olha se deixar fico escrevendo aqui por horas outros motivos da falta de engajamento. 

O colaborador precisa se sentir parte do processo, da engrenagem e nada mais justo que para isso ele também tenha responsabilidades no SGQ. Imagina a possibilidade de envolver os colaboradores nas tratativas das NC’s? Na análise de causa, nos planos de ação? Ou envolver naquele projeto promissor? E o melhor, acompanhar todas essas tratativas por meio de relatórios e Dashboards? 

Temos o Software Qualiex que apoia e simplifica o SGQ, de maneira simples, intuitiva e gerando responsabilidades ao seu colaborador e com permissões de acordo com o que cada usuário poderá visualizar e executar. 

O software não pode ser a ferramenta final para gerar o engajamento, ele é o meio para alcançar nosso objetivo. Afinal, não devemos somente prover equipamentos e procedimentos se a cultura da organização não incentiva o trabalho seguro e conforme. 

Certo dia, escutei de um cliente que a Qualidade não pode ser aquele setor que só faz cobranças e serve para dias de auditoria. A Qualidade deve apoiar a cultura, engajamento e autonomia.

Aqui na empresa, temos algumas ações e boas práticas que apoiam a cultura, o engajamento e que direciona o nosso trabalho, fiquem ligados aqui no blog que esse é o tema do meu próximo post. 

Agora me conta, como é feito o engajamento aí na sua empresa? Vamos trocar uma ideia? Estaremos sempre a disposição 😉

whatsapp

Receba as melhores notícias do dia por WhatsApp.

Clique aqui e confira nossos grupos!