Blog da Qualidade

Gurus da Qualidade: Frederick Taylor

Receba Nossa News

Os conteúdos mais legais sobre qualidade, semanalmente em seu e-mail

Todos os dados inseridos aqui, estão resguardados pela Política de Privacidade da ForLogic, totalmente adequada a LGPD e ISO 27001 (Segurança da Informação).

Juliana Geremias

Juliana Geremias

Graduada em Administração de Empresas, MBA em Gestão da Qualidade e Auditora Líder ISO 9001. "Qualidade é o resultado de um ambiente cultural cuidadosamente construído. Tem que ser o tecido da organização, não parte do tecido." Phil Crosby

Você já ouviu falar nos fundamentos da Administração Científica? Ou então você sabe quem foi Frederick Taylor?

Se sua resposta for não, fique tranquilo, pois é sobre ele que vamos abordar neste post. Boa Leitura!

Quem foi Frederick Taylor?

No mês de março, em 1856, nasce em Germantown, Filadélfia, Pensilvânia,  Frederick Winslow Taylor. Vale ressaltar que ele era oriundo de família rica e que fazia parte do seleto grupo Quakers (fundação de cunho religioso e tradição protestante com objetivos pacifistas e abolicionistas).

Ele é o pai da Administração científica, também conhecido como Taylorismo, que tem como principal objetivo melhorar a eficiência dos trabalhadores para aumentar a produção dentro das organizações.

Vamos conhecer o currículo desse notável Guru:

1872 – Ingressou na Phillips Exeter Academy, em New Hampshire, EUA.

1873 – Tornou-se aprendiz industrial em uma fábrica de bombas na Filadélfia.

1878 – Após a depressão americana, ingressou na companhia de aço Midvale Steel Works, iniciando como operário, mas logo avançou para escriturário, maquinista e depois contramestre (gerente).

1883 – Aos 27 anos, concluiu o curso de Engenharia Mecânica no Instituto de Tecnologia Stevens, sendo promovido a engenheiro-chefe.

1890 – Frederick Taylor iniciou Investment Manufacturing Company como gerente geral e consultor de gestão. A empresa operava grandes fábricas de papel em Maine e Wisconsin. Foi lá o “pulo do gato”onde o engenheiro teve a oportunidade para testar suas teorias

1893 – Abriu uma empresa de consultoria especializada em gestão de fábricas e custo de produção.

1898 – Ingressou na Bethlehem Steel, onde, junto com Maunsel White e uma equipe de assistentes, desenvolveu o “high-speed steel”, um tipo de aço rápido usado na fabricação de ferramentas de corte que é utilizado até hoje

1901 – Ele deixou a Bethlehem Steel devido a desavenças com outros gerentes.

1903 – Foi nesse ano que o norte-americano publicou seu primeiro livro, “Shop Management” (Direção de Oficinas), que hoje é conhecido como Administração Científica. Nessa obra, Taylor apresentou suas ideias sobre a racionalização do trabalho pela primeira vez.

1915 – Frederick Taylor vai a óbito com 59 anos. Ele deixou seu legado que contribuiu de forma significativa para o desenvolvimento industrial.

Qual foi a principal ideia de Frederick Taylor?

Um dos maiores feitos de Taylor foi o desenvolvimento de uma nova concepção de administração.

Ele defendia um “dia honesto de trabalho”, que tinha como solução a medição precisa do tempo necessário para executar os movimentos realizados pelos operários em cada processo produtivo. Essa medição era realizada com máxima precisão, respaldada por comprovação científica.

Suas primeiras ideias surgiram quando ele ainda atuava como supervisor na Midvale Steel. Seu objetivo era eliminar a prática da “restrição da produção”, uma tática defensiva adotada pelos trabalhadores da época.

Ênfase na produtividade e eficiência: a administração científica

Considerando que a maior parte do tempo os operários desempenhavam suas tarefas de forma intuitiva, Frederick Taylor acreditava que era imperativo racionalizar a execução dessas atividades.

Então, ele empenhou-se em explorar estratégias aplicáveis no sistema produtivo, tanto na função dos operários quanto na função da gerência. Foi aí que surgiu o método a administração científica.

As principais características dessa abordagem administrativa estão associadas à otimização da produção aliada à máxima eficiência na utilização da mão de obra. Esse método revolucionário na indústria ficou consagrado como taylorismo.

Entendendo um pouco mais sobre o Taylorismo

Em suas observações, Taylor percebeu que a falta de técnica dos operários na execução de suas tarefas resultava em perda de tempo devido a movimentos desnecessários, o que afetava a produção, ficando aquém da capacidade individual de cada um.

O taylorismo tem como objetivo elevar a produção industrial em menor tempo possível. Assim, propõe o aprimoramento individual de cada funcionário, levando em consideração suas habildades.

Esse aprimoramento, por sua vez, deve ser associado à segmentação, onde cada operário executa apenas uma atividade específica, eliminando a lentidão na produção consequentemente resultando em maior eficiência na produção e melhor custo-benefício.

Portanto tornou-se necessário que cada operário fosse instruído quanto à função a ser realizada, buscando sempre o máximo aprimoramento possível.

Em resumo, o método sugere que a padronização do trabalho e um maior controle na linha de produção levam a melhorias à medida que os perfis ideais para cada função são identificados.

A execução desse modo de organização trouxe grandes mudanças. O trabalhador que antes era envolvido em todo o processo produtivo, passou a estar fixado em uma única etapa diminuindo assim seu esforço produtivo.

Outra observação feita por Taylor é de que para estimular o operário a produzir, são necessárias algumas motivações, como por exemplo:

  • a melhoria dos salários;
  • a redução da jornada de trabalho;
  • os descansos semanais remunerados;
  • e as bonificações conforme a produção.

Portanto, qualquer semelhança com os sistemas de administração indicados hoje em dia não são meras coincidências 😊

Enfim, no livro Shop management, Taylor evidencia técnicas voltadas à racionalização do trabalho, com base no estudo do tempo e dos movimentos conhecido como Time-Motion Study.

Quais os princípios do Taylorismo?

Frederick Taylor deixou um enorme legado que contribui de forma significativa para o desenvolvimento industrial.

Ele deixou claro em sua obra que é fundamental romper com a utilização de métodos empíricos e empregar métodos científicos no trabalho.

Para isso Taylor apresentou quatro princípios fundamentais:

 

 

Princípio do planejamento

Substitua os métodos empíricos por métodos científicos, para evitar ações e julgamentos individuais a respeito do trabalho.
 

Princípio da preparação dos trabalhadores

Relacione funções específicas aos funcionários que apresentarem melhores aptidões para elas. Posteriormente, de treinamentos, para aperfeiçoar cada trabalhador.
 

Princípio do controle

Controle o trabalho realizado pelos operários, de modo a evitar tempo ocioso, esforço físico desnecessário e possíveis resistências.
 

Princípio da execução

Distribua as tarefas e responsabilidades para cada trabalhador, buscando um sistema de produção industrial disciplinado, objetivo e com o melhor custo-benefício possível.

Impacto na gestão e qualidade

As ideias de Taylor influenciaram outros métodos de organização da produção industrial, como por exemplo a linha de montagem (produção em massa com o menor custo possível) desenvolvido por Henry Ford e o método Toyotismo criado por Taiichi Ohno que visa maior produtividade sem criação de estoque.

Veja as principais características de cada um desses métodos:

Taylorismo Fordismo Toyotismo
Produção em massa

Trabalho realizado de acordo como rendimento do operário

Geração de estoque

Produção em menor tempo e com menor gasto

Controle de qualidade ao final do processo produtivo

Trabalhador exerce apenas uma função

Trabalho inteiramente subordinado à gerência

 

Produção em massa

Trabalho realizado de acordo com a capacidade do maquinário e realizado em esteiras.

Geração de estoque

Produção em menor tempo e com o menor gasto

Controle de qualidade realizado ao final do processo

Trabalhador exerce uma única função

Trabalho parcialmente subordinado à gerência

 

Produção em lotes

Trabalho realizado de acordo com a demanda

Não há geração de estoque

Produção voltada à necessidade do consumidor

Controle de qualidade é realizado ao longo do processo

Trabalhador realiza diversas funções

Trabalho com maior autonomia em relação à supervisão da gerência

 

Agora que você conhece um pouco mais sobre o impacto de Frederick Taylor, que tal saber um pouco mais sobre os gurus da Qualidade?

Conhecer as pessoas por trás de conceitos e metodologias é fundamental para entendermos o contexto por trás de suas ideias. Apesar de Frederick Taylor ser um nome muito comum nos currículos escolares, muitas pessoas não conhecem a fundo sua contribuição. E você, já o conhecia?

Fonte:

https://www.ebiografia.com/frederick_taylor/

Taylorismo: características, princípios, exemplos – Mundo Educação (uol.com.br)

Sobre o autor (a)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blog da Qualidade

Artigos relacionados