Blog da Qualidade

WEBINAR AO VIVO
Dia 05 de Abril 10h00min

O que é DMAIC?

Receba Nossa News

Os conteúdos mais legais sobre qualidade, semanalmente em seu e-mail

Todos os dados inseridos aqui, estão resguardados pela Política de Privacidade da ForLogic, totalmente adequada a LGPD e ISO 27001 (Segurança da Informação).

Bianca Minetto

Bianca Minetto

Mestre em Informática (Engenharia de Software) e graduada em Engenharia de Computação pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR). Intercambista durante a graduação no Algonquin College em Ottawa, Canadá. Apaixonada por aprender e educar! Vocês podem me encontrar no Linkedin.

O DMAIC é um método iterativo utilizado para a melhoria de processos. Seu uso mais comum é em projetos que utilizam a metodologia Six Sigma, porém sua aplicação não é exclusiva para projetos guiados pelo Seis Sigma, ou seja, você pode utilizar esse método em quaisquer situações em que se deseja implantar melhorias.

DMAIC é o acrônimo em inglês para cinco passos: Definir, Medir, Analisar, Controlar e Melhorar (Define, Measure, Analyze, Improve e Control). Cada um desses passos você deve executar na ordem D-M-A-I-C e, se ao final do ciclo o resultado esperado não for alcançado, o ciclo deve ser reiniciado. Esse processo deve ser repetido até que a melhoria desejada seja atingida.

Como funciona o DMAIC?

Para que fique mais claro, vou explicar sobre cada passo do DMAIC e o que cada um deles significa.

D – Definir

O primeiro passo é definir as oportunidades, escopo, objetivos e participantes. De maneira geral, nesse passo você define o que será feito e qual é o resultado esperado ao final da execução do ciclo. Uma dica importante é: reflita sobre as melhorias que podem ser realizadas e foque nas mais relevantes e viáveis. Brainstorming é uma técnica que pode ser bastante útil para você nesse passo.

M – Medir

O objetivo desse passo é coletar dados e informações para analisar e avaliar o cenário atual, preferencialmente de forma quantitativa e estatística, para assim estabelecer baselines para as melhorias pretendidas e, ao final do ciclo, você conseguir comparar o cenário atual com o resultado obtido e assim verificar se as melhorias implantadas foram satisfatórias. Você pode contar com o apoio de ferramentas como o Diagrama de Ishikawa, Pareto, Matriz GUT ou Causa e Efeito.

A – Analisar

O foco aqui é identificar a causa raiz do problema. Geralmente ao analisar um processo várias possíveis causas raízes são identificadas, mas a chave para o sucesso desse passo é priorizar e validar a causa raiz do problema a ser tratado. Como resultado desse passo, espera-se que oportunidades de melhorias sejam criadas. Utilizar o 5 Porquês é uma abordagem interessante para te ajudar na identificação e validação da causa raiz.

I – Melhorar

É a hora de tratar as oportunidades de melhorias identificadas no passo anterior. Primeiramente você deve identificar as possíveis soluções para corrigir e evitar a causa raiz do problema, em seguida, é recomendado testar para descobrir se a solução proposta é efetiva, caso não seja, ela deve ser repensada e replanejada;  se o resultado do teste for promissor, a ação deve ser implementada. Entretanto, pode ser que nessa etapa você encontre várias soluções, não necessariamente todas precisam ser testadas e implementadas, muitas delas podem ser apenas identificadas e registradas para futuramente serem utilizadas.  De forma resumida, esse passo consiste em:

  • Identifique/Crie soluções
  • Concentre-se nas soluções com mais viabilidade de implementação
  • Teste as soluções
  • Crie um plano de ação (a ferramenta 5W2H pode ser adotada)
  • Implemente/Implante as melhorias

C – Controlar

Do que adianta você identificar ou criar soluções se elas não forem implementadas? O foco desse passo é controlar as ações do plano de ação para que ele não se perca. Para isso, é fundamental que você defina critérios de controle como, por exemplo, checklists, metas e estatísticas para servir como fonte de informação para o monitoramento da implementação das ações. Você deve verificar o desempenho do plano de ação para garantir que os resultados pretendidos sejam alcançados e consequentemente, conseguir responder ao final desse passo se as ações de melhorias implementadas foram ou não eficazes. A ideia a ser fomentada nesse final de ciclo é: Busque a melhoria contínua!

Existe uma variação do ciclo DMAIC: o RDMAIC. Essa variação adiciona ao início do ciclo o passo de Reconhecer o problema “certo” para se trabalhar, evitando que esforços sejam concentrados em processos ou projetos que não são relevantes para aquele determinado momento.

DMAIC ou PDCA?

Para você que já conhece outras ferramentas e metodologias da qualidade, provavelmente lhe veio à cabeça ao ler este post que o DMAIC se assemelha ao PDCA, certo?

Tanto o PDCA (Plan – Planejamento, Do – Execução, Check –  Verificação e  Act – Atuar/Agir), quanto o DMAIC são métodos focados na melhoria contínua de processos e podem ser aplicados nos mais diversos âmbitos para a resolução de problemas. Entretanto, o uso de uma não elimina o uso da outra, podemos dizer que elas são complementares.

Como já mencionado, o PDCA e o DMAIC são destinadas à melhoria contínua, suas semelhanças se estendem por seus passos também, pois ambas possuem as fases de planejamento, execução e controle, ou seja:

PPlanejarDDefinir
MMedir
AAnalisar
DExecutarIImplantar melhorias
CVerificarCControlar
AAgir / atuar

O DMAIC é uma evolução do PDCA, pois utiliza métodos e ferramentas estatísticas para aprofundar a fase do Planejamento. E justamente por permitir uma análise mais robusta, o DMAIC é a base da metodologia Six Sigma.

Conteúdo em áudio sobre melhoria contínua!

O episódio 14 do Qualicast, podcast sobre qualidade, excelência e gestão, fala sobre “Como o PDCA ajuda promover a melhoria contínua” e nele, são citados alguns métodos para isso, como por exemplo, o DMAIC e variações do PDCA. Ouça agora e aprenda mais sobre como fazer a melhoria contínua ser parte da cultura da sua empresa:

Sobre o autor (a)

5 comentários em “O que é DMAIC?”

  1. marcos andrade moraes

    O que derrota a gestão ocidental é exatamente essa palhaçada de buscar nomes novos – Inovação! – para vender e enganar incauto. O acima apresentado é o PDCA.

    Não existe Six Sigma sem processo sob controle. E controlar processo é GQT.

    Chega de enrolar pra vender novidade.

    MAM

  2. Pingback: 3 Ferramentas da Qualidade para ir além do PDCA! - Blog da Qualidade

  3. Pingback: 3 metodologias da Qualidade para ir além do PDCA! - Blog da Qualidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Blog da Qualidade

Artigos relacionados