Estratégia empresarial

Análise SWOT: Entendendo as Oportunidades e Ameaças

oportunidades e ameaças
Imprimir artigo

No artigo anterior, falamos sobre Forças e Fraquezas dentro do contexto interno, mas criar capacidades e vantagens competitivas sem olhar o ambiente externo pode resultar numa empresa que embora eficiente, não consegue se adaptar às mudanças externas com a flexibilidade necessária para atender às necessidades dos clientes. Por isso, vamos falar um pouco das oportunidades e ameaças.

As oportunidades e ameaças existem fora da empresa, independente de forças, fraquezas ou opções internas. Elas ocorrem tipicamente dentro dos ambientes competitivo, do consumidor, econômico, político/legal, tecnológico e sociocultural. Identificando essas questões, é possível tirar proveito de oportunidades ou criar defesas para superar ou minimizar ameaças.

Darei 3 exemplos de como isso acontece.

Relativa falta de concorrênciastarbucks

Quando Howard Schultz imaginou pela primeira vez, em 1983, em criar a Starbucks, ele não imaginava que ia criar um novo setor. Quando ele concebeu uma rede de coffee bars norte-americanos não havia necessariamente uma concorrência em café, que era considerado uma commodity pela maioria dos consumidores. A demanda era visivelmente grande, pois só perdia para a água em termos de consumo no mundo, e só era encontrado em prateleiras dos mercados e restaurantes. A nítida falta de concorrência deu a Schultz o ímpeto de levar a Starbucks, de sua modesta origem em Seattle, Washington para o resto do país, e hoje o resto do mundo.

Obsolescência Induzida por tecnologiamusica

Que a internet mudou a forma de consumo, trabalho e negócios não é novidade pra ninguém. Hoje a gente se depara com o consumidor 3.0 que tem um tipo de comportamento totalmente diferente do que se tinha a 20 ou 10 anos atrás. Isso trouxe uma dificuldade de sobrevivência de várias empresas e um exemplo disso é a indústria fonográfica internacional. Hoje a utilização de CD é obsoleta e justamente porque a distribuição eletrônica de música gravada é muito mais eficiente que a distribuição de músicas por meio do CD. Apesar de já existir mecanismos como compra de rádios e faixas de músicas online, até hoje, o setor tenta combater a pirataria online. Toda essa mudança no hábito do consumidor gerou várias ameaças para o segmento.

Mudança nos Gostos e Preferencias do consumidorlevis

Muitos acreditam que Levi Strauss & Co praticamente introduziu a moda casual como tendência de vestuário muito aceita em locais de trabalho, porém, o que era uma benção também se tornou uma maldição na década 90, com o lançamento da linha de calças esportivas Dockers. As vendas de Dockers foram um sucesso, junto com as outras peças casuais, porém acabaram por perder a força central no jeans, fazendo eles perderem vendas no produto quando seus clientes começaram usar roupas esportivas e mais confortáveis, optando por marcas como Gap, Old Navy, Mudd e Hilfiger causando um impacto grande. De 31%, a participação do mercado da Levi’s caiu para 17% e teve que ficar mais enxuta e demitiu mais de 40% de seus funcionários. Para combater isso, a Levi’s lançou novos produtos e mudou sua estratégia de distribuição contando, em 2013, com o WalMart.

No próximo artigo, falaremos um pouco mais da SWOT no planejamento estratégico e associaremos ele com a Gestão da Qualidade de forma mais direta, até lá! 😉

 

Referência:

FERRELL, O. C. Estratégia de Marketing. São Paulo: Thomson Learning, 2006.

 

#01 Análise SWOT: Gerando valor no Planejamento Estratégico

#02 Seis critérios para uma Análise SWOT produtiva

#03 Análise SWOT: Entendendo as Forças e Fraquezas

#04 Análise SWOT: Entendendo as Oportunidades e Ameaças

#05 Gerando ações a partir da Matriz SWOT

Banner do módulo de getão estratégica do Qualiex

Autor

Comentários

Posts Relacionados

fornecedores-pdca
← Post mais recente
Gestão de Fornecedores com PDCA