Blog da Qualidade

webinar ocorrências

Eficácia dos treinamentos: algumas considerações

Receba Nossa News

Os conteúdos mais legais sobre qualidade, semanalmente em seu e-mail

Todos os dados inseridos aqui, estão resguardados pela Política de Privacidade da ForLogic, totalmente adequada a LGPD e ISO 27001 (Segurança da Informação).

Davidson Ramos

Davidson Ramos

+ posts

Auditor Líder ISO 9001:2015 e autor de centenas de artigos sobre Gestão da Qualidade, sempre acreditei que as pessoas têm o poder de mudar o mundo a sua volta, desde que estejam verdadeiramente engajadas nisso. Por isso me dedico a ajudar as pessoas a criar laços verdadeiros com seu trabalho, porque pessoas engajadas mudam o mundo!

Esse é o 4º e último artigo da minha série sobre avaliar a eficácia dos treinamentos. Até aqui, trabalhamos muitos aspectos importantes, falamos sobre:

Hoje, para arrematar o assunto, quero falar sobre duas coisas. Uma delas tem a ver com a escolha de quem é treinado. O outro tem a ver com todo o processo que eu “descrevi” nos artigos anteriores.

P.s.: se você não leu os artigos anteriores, recomendo. Do contrário, você pode não entender quando eu citar alguma coisa, haha.

O que é mais urgente: avaliar a eficácia dos treinamentos ou treinar?

Quando me propus a escrever essa série, me esforcei para fazer algo completo. Algo que ajudasse as pessoas a pensar no todo. E quando falamos em processo, sempre há certa complexidade envolvida. Na avaliação de eficácia dos treinamentos não é diferente.

Mesmo que você esteja descontente com a avaliação dos seus treinamentos (e talvez até com os treinamentos aplicados), continue treinando as pessoas! Somente pessoas melhores podem melhorar a empresa. Pessoas competentes enxergam os problemas e conseguem atuar sobre eles.

Arnold Daniel Palmer, jogador de golfe norte-americano, disse uma frase que acredito caber bem nesse contexto:

“Quanto mais eu treino, mais sorte eu tenho.” (Arnold Palmer)

Uma empresa não cresce e prospera por sorte, mas por muito trabalho e esforço de gente que evolui junto com a empresa. Que continua aprendendo e se capacitando. Treinar as pessoas é uma forma de garantir isso aí, não usa organização!

Continue treinando, continue evoluindo!

Então, se você se assustou com tudo que precisa fazer para avaliar a eficácia dos treinamentos, calma! Só continue seguindo seu processo, continue treinando as pessoas!

Enquanto isso, avalie tudo que sugeri nos meus artigos, veja o que faz sentido para o seu contexto e defina por onde começar. Estabeleça novos critérios e identifique as etapas mais deficientes. E vá trabalhando nisso paulatinamente.

Você não precisa, necessariamente, mudar tudo de uma vez só! Bem como, não é porque leu meus artigos hoje que, precisa avaliar 100% dos cursos aplicados na sua empresa amanhã. Veja quais mais fazem sentido para você agora, faça testes de avaliação de eficácia. Faça as coisas no seu ritmo e no seu contexto.

Agora, é claro, se você quiser quebrar tudo e mudar todo o processo, sucesso! A gente faz isso às vezes e até que dá certo, haha! (Bem, vale ressaltar que é importante ficar de olho na gestão de mudanças, avaliar riscos e desenvolver planos estruturados, hehe)

Treinamento não é premiação

Ao longo de tudo que vimos até aqui, falei várias vezes que os treinamentos servem para melhorar empresa. (Se eu não disse isso exatamente dessa forma, está aí, haha)

Sendo assim, eles precisam ser focados nas necessidades da empresa: lacunas, problemas ou aspectos que precisam de atenção. Então, é preciso entender que treinamentos não são premiação. Algumas empresas ainda caem nessa armadilha e utilizam treinamentos como forma de reconhecimento, por exemplo.

Treinamentos, na verdade, são para quem precisa se desenvolver, para colaboradores que tem gaps de conhecimento ou precisam gerar algum resultado e não sabe como fazer isso. Dessa forma, quem deveria ser treinado são as pessoas que menos sabem sobre determinado assunto, ou processo, e não as que mais sabem, não as que já desempenham um bom trabalho.

P.s.: não estou dizendo que pessoas que alcançam bons resultados não devem ser reconhecidas, muito pelo contrário. Só gostaria de deixar claro que treinamentos não são para isso!

Treinamento não é despesa, é investimento!

Espero que, durante a leitura, eu tenha conseguido ir um pouco além do meu assunto principal: avaliar a eficácia dos treinamentos. Pois procurei mostrar o quanto os treinamentos são importantes para evoluir sua empresa como um todo. Assim, se eu pudesse resumir o que me esforcei para dizer nesses artigos, seria:

Avaliar a eficácia dos treinamentos é essencial para evoluir a competência das pessoas, fornecer treinamentos assertivos e melhorar os resultados da organização.

Minha série de artigos acaba aqui. Entretanto, se eu atingi meu objetivo e consegui mostrar a você a importância de treinar as pessoas e de avaliar a eficácia dos treinamentos, tenho certeza de que o seu trabalho só está começando. Então, mãos à obra! (e conte sempre conosco).

Sobre o autor (a)

3 comentários em “Eficácia dos treinamentos: algumas considerações”

  1. Odair Santana de Andrade

    Excelente material.
    O artigo publicado,ven mostrando a real importancia de avaliação dos treinamentos e sua importância para as pessoas, visando melhoria no processo e capacitando quem precisa.
    E como é dito: Treinamento nao é custo,e sim Investimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Blog da Qualidade

Artigos relacionados

ocorrênias 500x800

deixou de acompanhar as ações de
um projeto e ATRASOU a entrega?

O Qualitfy pode ajudar