Melhoria contínua

6 coisas que aprendi sobre qualidade assistindo La Casa de Papel

Imagem dos personagens de la casa de papel. Todos utilizando seus tradicionais "uniformes" vermelhos e o professor (líder) utilizando seu terno. Essa imagem é utilizada no artigo da Vanessa sobre 6 coisas que aprendi sobre qualidade assistindo La Casa de Papel.
Imprimir artigo
Redefinir

Provavelmente, você já ouviu falar de um seriado muito popular da Netflix chamado “La Casa de Papel”. Ele que conta a história de um assalto à Casa da Moeda e também ao Banco da Espanha. Os ladrões têm como objetivo principal roubar tanto dinheiro como nunca visto antes. Para isso eles têm um plano perfeito. Mas, o que eu aprendi sobre qualidade assistindo La Casa de Papel?

O enredo da série se dá com um líder, o Professor, e outros assaltantes que são “treinados” para o assalto e orientados a seguir um plano onde acontecem alguns imprevistos. A trama segue em meio a reviravoltas, estratégias mirabolantes e ações inteligentes para alcançar o resultado esperado: imprimir a maior quantidade de “dinheiros” possível e sair de lá sem mortes ou violência.

Assistindo a série, me deparei com alguns passos que, nós da qualidade, estamos acostumados a traçar ao longo de nossas vidas, carreiras e rotina. Nós somos “o Professor” e vou falar como cheguei nessa conclusão! Por isso, vamos ao pontos que eu aprendi sobre qualidade assistindo La Casa de Papel!

1° ponto – Estudo e Análise de Contexto

Antes de mais nada, quero iniciar com a seguinte pergunta: “Você conhece a sua empresa? Sabe qual é a visão, missão, valores? Qual a capacidade da empresa? O que ela faz e como faz e onde quer chegar, quais fatores internos e externos que impactam os processos, os recursos disponíveis, conhece a sua equipe?”

Em La Casa de Papel o Professor passou anos da sua vida estudando o lugar, conhecendo os detalhes não só do lugar, mas das pessoas e das formas de trabalho (no caso os processos que compunham a Casa da Moeda). 

Sabe o requisito 4.1 da ISO 9001:2015?!

A organização deve determinar questões externas e internas que sejam pertinentes para seu propósito e para seu direcionamento estratégico e que afetem sua capacidade de alcançar o(s) resultado(s) pretendido(s) de seu sistema de gestão da qualidade.

 

A organização deve monitorar e analisar criticamente informação sobre essas questões externas e internas.”

O Professor atendeu por completo! Após tempos o mesmo acompanhou em tempo real todas as notícias. Ele sabia dos passos e estratégias policiais, também sabia que haveria uma tour de estudantes com uma vítima chave para o plano dar certo. Colocou todos vestidos de Salvador Dali para confundir a polícia e tinha clareza de quando havia infiltrados na missão.

Resumindo, estudou os fatores internos e externos que poderiam atrapalhar seu plano perfeito e interferir nas ações da sua “organização”.

2° ponto – Planejamento

Depois de toda análise feita, um plano foi traçado e a equipe, pessoas escolhidas a dedo, foram convocadas. Além disso, eles passaram 5 meses estudando a fundo cada detalhe do plano.

Todos sabiam quais eram as suas funções, quando deveriam executar e qual era o impacto de cada ação pessoal no planejamento.

É ÓBVIO que a gente não vai passar a vida toda planejando ações para qualidade. Nossa equipe também não vai ficar 5 meses em treinamento sem colocar nada em prática. Entretanto, o ponto aqui é que, se não tivermos o planejamento bem feito e divulgado com detalhes para os colaboradores executarem com competência, vai dar ruim.

3° ponto – Equipe super competente e empática

Eu  já falei um pouco sobre planejamento e a importância da equipe preparada. Essa é uma parte vital para o funcionamento e sucesso da organização pois, esses mesmos fatores foram indispensáveis para execução do roubo à Casa da Moeda.

Quem assistiu a apenas um capítulo não pode negar que o pessoal era engajado e comprometido! E esse é o nosso sonho, não é? Engajamento

Qualidade é um estado de espírito, não é só executar atividades. Para que todos os colaboradores entendam isso e estejam engajados, é preciso trabalharmos forte na cultura da organização. Portanto, é importante o trabalho das lideranças e da alta direção, todos precisam estar comprometidos e envolvidos no sistema de gestão da qualidade. 

Vale lembrar da historinha do café da manhã com ovo mexido e bacon. Enquanto a galinha estava envolvida, o porco estava comprometido com a entrega. Entende a diferença? Não se iluda.

Por isso, tenha em mente que o seu comportamento e o da sua equipe precisam estar alinhados e que trabalho em equipe remete à empatia.

4° ponto – Gestão de Riscos, tenha sempre um plano B (ou C)

O que mais me impressiona nessa série a é capacidade de se adaptarem às mudanças e aos contratempos que surgiram no meio da execução do projeto. Para cada movimento que a polícia fazia, o Professor tinha uma tática.

Você que não assistiu a série deve estar pensando: “Nossa que chato, tudo dava certo com esses caras?!“. CLARO, que não! Mas sempre havia alguém que encontrava uma saída para o problema.

Nós precisamos desenvolver a mentalidade de planos múltiplos, saber lidar com as crises e mudanças bruscas na nossa rotina. Neste momento que estamos vivendo, este cenário de COVID-19, economia do país… Chama o professor que tem dentro de você!

Nós buscamos excelência ou buscamos apenas entregar produtos ou serviços aceitáveis?

5° ponto – Tecnologia

No segundo assalto eles já estavam ricos com o dinheiro do primeiro roubo que deu certo. Entretanto, eles usaram todos os erros do primeiro plano como aprendizado! Eles fizeram uma operação por videoconferência e tinham equipamentos bem mais evoluídos que a própria polícia. Mas o que isso me ensinou? 

Invista em tecnologia, analise as oscilações que sua organização sofreu e quais áreas tiveram impacto e que com tecnologia você resolveria. Evolua e automatize seus processos.

Na 1° temporada eles se comunicavam por telefone, na 3° eles tinham rádio e se falavam quando queriam. Como dizia meu amigo Steve Jobs “ a tecnologia move o mundo”.

6° ponto – Conheça seu público

Tenha um “cliente foco”! O Professor sabia quem estaria na Casa da Moeda, que haveria uma visita de uma escola, que a filha do embaixador estaria lá… Você sabe qual é o perfil do seu cliente? 

Conhecer o público alvo da sua organização é o que vai garantir o seu sucesso! Portanto, atenda seu cliente em primeira mão e a certificação será apenas uma consequência da qualidade e assertividade da sua empresa.

Qualidade é necessária quando buscamos algo grande!

A equipe do professor não só quis imprimir a maior quantidade de dinheiro possível e derreter 720 kg de ouro. Eles queriam isso com QUALIDADE.

Uma das personagens era especialista em falsificação e responsável pela qualidade das notas. Mas para que isso? A Nairobi queria evitar retrabalho. Ela queria qualidade em todos os aspectos, em todas as etapas do processo.

Estou encerrando o texto (que ficou bem longo, rsrs) reforçando minha ideia principal. Planejamento sem pessoas competentes e comprometidas para executar o processos, sem gestão de riscos e sem qualidade, não é planejamento, é uma perca de tempo. Essas foram algumas das lições que eu aprendi sobre qualidade assistindo La Casa de Papel.

Ou cuidamos do todo ou aceitamos que nunca vamos atingir o máximo que podemos. A escolha é de nossa!

Autor

Comentários

Posts Relacionados

Imagem de um homem usando um moletom azul Qualiex e mexendo no seu PC. Essa imagem simboliza o artigo sobre Liderança, Autonomia e o Home Office.
← Post mais recente
Liderança, Autonomia e o Home Office