Blog da Qualidade

ISO 9001:2015 – Contexto da Organização: o que significa isso?

Receba Nossa News

Os conteúdos mais legais sobre qualidade, semanalmente em seu e-mail

    Todos os dados inseridos aqui, estão resguardados pela Política de Privacidade da ForLogic, totalmente adequada a LGPD e ISO 27001 (Segurança da Informação).

    Monise Carla

    Monise Carla

    Website | + posts

    Auditora Líder ISO 9001:2015, ISO 22000:2018 e ISO 31000:2016. Redatora do Blog da Qualidade e Especialista de Comunicação no Qualiex! Eu ajudo profissionais a resolverem problemas de qualidade por meio de tecnologia e acredito que esse é o primeiro passo para uma vida de Excelência. Gosto de rock, desenho animado e vejo qualidade e excelência em tudo isso. Não me leve tão a sério no Twitter, mas se preferir, você também pode me encontrar no Facebook e Linkedin.

    Se você está ligado nas mudanças da versão 2015 da ISO 9001, você já deve ter visto algo sobre “Contexto da Organização”, assunto abordado no item 4 da nova versão. Para muitas empresas, isso ainda está um pouco confuso, mas quero falar aqui de um jeito que você entenda. O que significa entender o contexto da Organização? Quando a gente fala de compreender o Contexto da organização, estamos falando basicamente sobre:
    1. identificar o que afeta nossas empresas, interna e externamente;
    2. definir quem é que pode influenciar significativamente o que a gente faz e o que essas pessoas querem.
    O primeiro engloba entender as condições legais, tecnologia, competitividade, mercado, culturais, sociais e ambiente econômico que a organização está inserida e questões internas como cultura, desempenho, valores, enfim, condições restritas a empresa. Podemos compreender o segundo com os famosos stakeholders. São os públicos de interesse de uma organização. São as partes interessadas e envolvidas voluntária ou involuntariamente com a mesma, onde há um objetivo específico de relacionamento que gerem algum tipo de lucro, tangível ou intangível, por exemplo: clientes, acionistas, colaboradores, fornecedores, entre outros. Além de saber quem são, é necessário entender o que eles querem de você para te ajudar a crescer! Por exemplo, você deve ter fornecedores que influenciam muito na entrega do seu produto, ou seja, ele é importante para você e você é importante pra ele. O que você tem que fazer e ele também tem que fazer para que se mantenha essa relação, para que a qualidade do seu produto não seja afetada?
    Para estruturar essas informações de uma forma que não fique confuso, as empresas utilizam algumas ferramentas como por exemplo o Canvas e o Análise SWOT, mas não que isso seja obrigatório nem nada, até porque a norma não exige alguma ferramenta específica, a gente usa porque fica mais fácil visualizar as informações para tomada de decisão. Para proceder na nossa linha de raciocínio, o novo padrão aborda 3 lugares que levarão em conta as informações levantadas no contexto da organização:
    • O primeiro é um princípio da qualidade:Tomada de decisão baseada em evidências“. Não é difícil compreender que as melhores decisões são feitas quando se baseiam em evidências e não por conjectura.
    • A segunda referência quase informal para a tomada de decisões é encontrada na Cláusula 0.1, “Enfrentar riscos e oportunidades associados com o seu contexto e os objetivos.” Enfrentar riscos significa gerenciar proativamente as incertezas. O simples significado de “gerenciar incertezas” é que as decisões devem ser feitas com a consideração das possíveis consequências positivas e negativas que o futuro incerto pode trazer.
    • Finalmente, na Cláusula 5.1, Liderança e Comprometimento, encontramos um requisito para a gestão de topo: “assegurar que a política e os objetivos da qualidade são estabelecidos para o Sistema de Gestão da Qualidade e são compatíveis com a estratégia da direção e o contexto da organização.”
    O contexto da organização pode parecer ser uma informação que vamos levantar e depois engavetar, mas não deve ser, e esse é o maior cuidado que a gente tem que tomar nesse item. As informações recolhidas através da definição de contexto são muito úteis para a identificação de melhorias estratégicas e operacionais que podem mudar completamente sua forma de visualizar sua empresa e só vão realmente ser benéficas se forem traduzidas em planos de ação na empresa. O que eu vejo que traz muito resultado é verificar se as informações levantadas para fazer o planejamento estratégico contemplam os itens citados pela ISO 9001:2015, considerando que, o que a ISO pede é o básico para elaborar um planejamento. E mais interessante que isso, executar planos de ação condizentes com esse contexto.   Leia todos os artigos do Blog da Qualidade sobre ISO 9001:2015! contexto-da-organizacao-o-que-e-isso

    Sobre o autor (a)

    11 comentários em “ISO 9001:2015 – Contexto da Organização: o que significa isso?”

    1. Acredito que o Planejamento Estratégico terá um papel tão importante para essa nova versão quanto o Manual da Qualidade tinha para a versão anterior e esse será um grande desafio para os profissionais da área de Qualidade.
      Ótimo texto!

      1. Ronaldo Oliveira Santos

        E por que não aproveitar, para quem tem, o manual da qualidade para ser seu novo manual de planejamento estratégico e diretriz para o contexto da organização. Entendo como opção!

    2. Helmut Ricardo Sommerfeldt

      No meu entendimento, isso é fazer uma análise crítica na empresa e seus fornecedores. Responder certas questões, como por exemplo:
      Se sua produção, atende aos requisitos do cliente em relação a qualidade e demanda exigida.
      Se o pessoal envolvido é qualificado para realizar tal tarefa.
      Se o investimento é suficiente para atender aos requisitos do cliente.
      Se há engajamento do pessoal envolvido.
      Isso para uma análise interna.
      Entender seus pontos fortes, seus pontos fracos, as oportunidades, e as ameaças que a empresa sofre no mercado.

    3. Olá Monise, utilzei o modelo Canvas para me auxiliar na determinação do contexto da organização e não fui bem sucedido devido o fato de que na auditoria de certificação o auditor foi muito tendencioso quanto a necessidade da utilização da análise SWOT a qual optei por não utilizar e o mesmo mostrou-se desconhecer o Canvas e consequência disto estou com uma não conformidade para responder.
      Você tem algo para sugerir para facilitar a explanação da interação entre o Canvas e o contexto da organização?
      Parabéns pelos artigos.

      1. Olá Felipe, tudo bem? Olha, é complicado essa questão de ferramenta, geralmente usa-se a que você tem mais familiaridade, ou que tem mais a ver com a cultura da tua empresa, para que assim, consiga melhor atingir sua estratégia. Nós já usamos o Canvas aqui, gosto da metodologia porque abrange várias interfaces do planejamento, inclusive as partes interessadas. É como se fosse um 5W2H do planejamento, tem um post do meu amigo Luiz aqui no Blog falando sobre isso: https://blogdaqualidade.com.br/como-o-canvas-pode-salvar-o-planejamento-da-sua-empresa/

        Bom, no caso da sua argumentação com o auditor, é você quem tem que mostrar para ele que esse é o melhor modelo de planejamento para sua empresa, de acordo com a cultura de vocês e o quanto vocês conhecem o método. E não esqueça de colocar em pauta a consideração de riscos. Não existe jeito melhor ou pior, existe o jeito que funciona para sua empresa! Dá uma olhadinha nesse vídeo de 3 min aqui: https://www.youtube.com/watch?v=DRtG0XsgRIk

        Espero ter ajudado. Forte abraço!

        1. Cristina Mendonça

          Também considero importante lembrar que auditores não podem fazer inferências, considerando uma ferramenta em detrimento a outra e a Norma não especifica o que utilizar. Porém, ele pode ter detectado uma NC em função de estar faltando algo percebido durante a auditoria, da aplicação inadequada ou incompleta. Assim acredito que deves verificar o que realmente aconteceu. Se inferência do auditor ou resultados falhos na utilização inadequada da ferramenta.

    4. Para a migração da ISO 9001:2015 irei manter meu Manual da Qualidade, com isso eu posso descrever o item 4 ( Contexto da Organização) diretamente nele.

    5. Pingback: Como gerenciar processos através do ciclo PDCA? - Blog da Qualidade

    6. Pingback: ISO 9001:2015 – Entendendo o Contexto da Organização - Blog da Qualidade

    7. Pingback: ISO 9001:2015 – O que é Anexo SL e qual o significado disso? - Blog da Qualidade

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Blog da Qualidade

    Artigos relacionados

    Planos 500x800

    Já elaborou um super PLANO DE AÇÃO que não foi executado a tempo?

    O Qualiex pode te AJUDAR!